sicnot

Perfil

Mundo

Ofensiva militar mata 200 militantes do Boko Haram no Níger

A ofensiva militar lançada no fim de semana pelo Chade e pelo Níger conseguiu recuperar a cidade de Damask aos terroristas do Boko Haram, matando cerca de 200 militantes deste grupo radical, segundo uma fonte citada pela AFP.

© Stringer . / Reuters

De acordo com uma fonte dos serviços de segurança do Chad, a ofensiva militar terminou com o controlo de Damask, uma cidade na fronteira do Níger, pelo Boko Haram, que se prolongava desde novembro, havendo a registar 10 mortos entre os soldados do Chad e mais 20 feridos.


A ofensiva, que se seguiu a um ajuntamento de tropas no sul do Níger, abriu uma nova frente nos esforços regionais para aniquiliar o grupo islamita, cuja atividade nos últimos seis anos já ultrapassou as fronteiras da Nigéria, de onde o grupo é originário.


Esta ofensiva militar surge também na sequência de uma aliança entre o Boko Haram e o Estado Islâmico, anunciada numa mensagem áudio este fim de semana.


Mais de 13 mil pessoas morreram e cerca de 1,5 milhões estão desalojadas no seguimento das ações do Boko Haram desde 2009.


A coligação regional de combate a este grupo terrorista é um reflexo dos receios regionais sobre a segurança devido aos ataques que extravasam as fronteiras da Nigéria.


Lusa
  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.