sicnot

Perfil

Mundo

Chefe da polícia de Ferguson demite-se após acusações de racismo

O chefe da polícia de Ferguson, onde um jovem negro foi morto a tiro pela polícia no verão passado, demitiu-se, uma semana depois do avassalador relatório do Departamento de Justiça norte-americano sobre a atuação das autoridades.

© Kate Munsch / Reuters

"É com profundo pesar que anuncio que estou a renunciar ao meu cargo", escreveu Thomas Jackson, que era chefe da polícia desde 2010.

 

A demissão, anunciada esta quarta-feira e que produz efeitos a 19 de março, figura como a mais recente de uma série de outras por parte de várias figuras do poder local, desencadeadas pelo caso de Michael Brown, um jovem negro de 18 anos, que estava desarmado quando foi abatido a tiro em agosto do ano passado pelo polícia branco Darren Wilson.

 

Um relatório do Departamento de Justiça norte-americano sobre o caso questiona as práticas tanto da polícia como das autoridades e órgãos judiciais de Ferguson e, em particular, do juiz municipal Ronald J. Brockmeyer por criar taxas judiciais "abusivas e potencialmente ilegais".

 

Como consequência, o Supremo Tribunal do Missouri decidiu, esta segunda-feira, transferir a um juiz estadual os casos municipais de Ferguson, para reformar o sistema e recuperar a confiança após o relatório.

 

No documento do Departamento de Justiça, a polícia de Ferguson é acusada de violar sistematicamente os direitos civis da população negra, com detenções sem motivo aparente e uso excessivo da força sobretudo contra essa comunidade.

 

A investigação federal revelou que nos últimos dois anos os cidadãos afroamericanos de Ferguson, que representam 67% da população, foram alvo de 85% das detenções por tráfico, que em 93% das detenções e em 88% dos casos a polícia recorre ao uso da força.

 

O caso de Ferguson, que desencadeou massivos protestos, veio reabrir dois debates chave nos Estados Unidos: a discriminação racial e a violência policial.

 

Lusa

  • Dirigentes do GD Ribeirão acusados de auxílio à emigração ilegal
    1:34

    Desporto

    Oito dirigentes do Grupo Desportivo de Ribeirão, um clube de Vila Nova de Famalicão que fechou as portas em 2015, foram acusados pelo Ministério Público.Em causa, estão suspeitas de auxílio à emigração ilegal ou falsificação de documentos, relacionadas com transferências de jogadores estrangeiros em situação ilegal.

  • Capacetes Brancos agradecem Óscar para filme sobre a guerra na Síria
    1:34

    Óscares 2017

    O Óscar para melhor documentário curto foi atribuído a um filme sobre a guerra na Síria. "The White Helmets" retrata o trabalho dos Capacetes Brancos, uma equipa de voluntários que ajuda no salvamento e resgate de habitantes sírios atingidos pelo conflito no país. O Fundador dos Capacetes Brancos já veio fazer um agradecimento público pela atribuição deste galardão. Raed Saleh diz que é uma motivação para os voluntários que todos os dias arriscam a vida para salvar outras pessoas.

  • O primeiro eclipse solar do ano
    0:57
  • O Nokia 3310 está de volta
    1:16