sicnot

Perfil

Mundo

Japão regista quase 25.500 suicídio em 2014, menos 6,8% que no ano anterior

O Japão registou, ao longo do ano passado, 25.427 suicídios, um número significativo face ao seu universo populacional, mas ainda assim 6,8% inferior a 2013, indicam dados oficiais hoje divulgados.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Yuya Shino / Reuters

Segundo os dados revelados pela Agência Nacional de Polícia, em 2014, o número de suicídios caiu pelo quinto ano consecutivo, e ficou abaixo dos 30.000 casos pelo terceiro ano consecutivo.

 

Metade dos casos foi atribuída pela polícia "a problemas mentais ou doenças".

 

O número de suicídios no Japão era inferior a 26.000 entre 1978 - quando as autoridades começaram a compilar os dados - e 1997. Contudo, a partir desse ano excedeu os 30.000 durante 14 anos consecutivos.

 

O Japão, com 126 milhões de habitantes, figura entre os 10 países com a taxa de suicídio mais elevada do mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde, que cifra em 20,7 o número de ocorrências por ano por cada cem mil habitantes.


Lusa

  • Mário Centeno lidera hoje a primeira reunião do Eurogrupo
    1:56
  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Casal que mantinha filhos acorrentados queria participar num reality show
    3:15
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.