sicnot

Perfil

Mundo

Número de mortos em naufrágio de "ferry" na Birmânia sobe para 33

Pelo menos 33 pessoas morreram e outras 12 estão dadas como desaparecidas na sequência do naufrágio de um ''ferry'' de passageiros ao largo da costa oeste da Birmânia, segundo um novo balanço da polícia local. 

© Minzayar Minzayar / Reuters

"O último balanço é de 33 mortos, quatro homens e 29 mulheres. Pelo menos 12 pessoas estão dadas como desaparecidas" após o naufrágio ocorrido na sexta-feira, afirmou hoje um responsável da polícia local, citado pela agência francesa AFP.

O anterior balanço fornecido pelas autoridades dava conta de 21 vítimas mortais.

A comunicação social local avançou entretanto com outros números, informando de que pelo menos 60 pessoas perderam a vida no acidente e que várias dezenas de pessoas estão desaparecidas.

Até ao momento, 169 passageiros foram resgatados com vida e navios da Marinha birmanesa, com o apoio de embarcações privadas, estão a patrulhar a área do acidente.

A polícia indicou ainda que nenhum turista estrangeiro estava a bordo do 'ferry'.

O 'ferry' Aung Takon 3 efetuava a ligação entre Kyaukphyu e Sittwe, cidade do estado de Rakhine, oeste da Birmânia, quando naufragou.

"Suspeitamos que a embarcação naufragou devido à sobrecarga", indicou o mesmo responsável.

O 'ferry' transportava oficialmente 214 passageiros e membros da tripulação, mas testemunhas locais admitem que vários passageiros terão entrado na embarcação sem bilhete, uma prática muito frequente nas viagens em ferries na Birmânia.

"Estimamos que cerca de 300 pessoas estavam a bordo", declarou um deputado da assembleia local, Maung Lone, citado pela AFP.


Lusa

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08