sicnot

Perfil

Mundo

Número de mortos em naufrágio de "ferry" na Birmânia sobe para 33

Pelo menos 33 pessoas morreram e outras 12 estão dadas como desaparecidas na sequência do naufrágio de um ''ferry'' de passageiros ao largo da costa oeste da Birmânia, segundo um novo balanço da polícia local. 

© Minzayar Minzayar / Reuters

"O último balanço é de 33 mortos, quatro homens e 29 mulheres. Pelo menos 12 pessoas estão dadas como desaparecidas" após o naufrágio ocorrido na sexta-feira, afirmou hoje um responsável da polícia local, citado pela agência francesa AFP.

O anterior balanço fornecido pelas autoridades dava conta de 21 vítimas mortais.

A comunicação social local avançou entretanto com outros números, informando de que pelo menos 60 pessoas perderam a vida no acidente e que várias dezenas de pessoas estão desaparecidas.

Até ao momento, 169 passageiros foram resgatados com vida e navios da Marinha birmanesa, com o apoio de embarcações privadas, estão a patrulhar a área do acidente.

A polícia indicou ainda que nenhum turista estrangeiro estava a bordo do 'ferry'.

O 'ferry' Aung Takon 3 efetuava a ligação entre Kyaukphyu e Sittwe, cidade do estado de Rakhine, oeste da Birmânia, quando naufragou.

"Suspeitamos que a embarcação naufragou devido à sobrecarga", indicou o mesmo responsável.

O 'ferry' transportava oficialmente 214 passageiros e membros da tripulação, mas testemunhas locais admitem que vários passageiros terão entrado na embarcação sem bilhete, uma prática muito frequente nas viagens em ferries na Birmânia.

"Estimamos que cerca de 300 pessoas estavam a bordo", declarou um deputado da assembleia local, Maung Lone, citado pela AFP.


Lusa

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.