sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 215 mil pessoas morreram em quatro anos de guerra na Síria

Um total de 215.218 pessoas foram mortas na Síria, entre civis, militares, milicianos e rebeldes, desde o início da guerra civil no país, em meados de março de 2011, segundo dados hoje divulgados pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). 

© Muhammad Hamed / Reuters

Num comunicado, publicado para assinalar os quatro anos de guerra civil na Síria, a organização não-governamental (ONG) explicou que, entre os mortos, há pelo menos 102.831 civis, dos quais 10.808 menores e 6.907 mulheres.

A ONU estimou, em outubro, um número de mortos superior a 200 mil, na guerra civil síria, e várias outras organizações acreditam que supere os 220 mil.

Segundo o OSDH, foram mortos 36.722 membros de distintas brigadas de oposição ao regime do Presidente Bashar al-Assad, sendo as baixas no exército de 46.138 efetivos.

Entre as milícias pró-governamentais, a ONG contabilizou 30.662 mortos e registou 674 mortes nas fileiras do grupo xiita libanês Hezbollah, que luta a favor do governo de Damasco.

Além disso, foram mortos 2.727 combatentes estrangeiros xiitas (pró-regime sírio) procedentes do Irão e de outros países árabes e asiáticos.

O Observatório precisou também que um total de 26.834 combatentes estrangeiros, das organizações 'jihadistas' Estado Islâmico, Frente al-Nusra (ligada a Al-Qaeda na Síria) e outras brigadas extremistas, foram mortos nestes quatro anos de guerra.

A ONG sublinhou igualmente que documentou um total de 3.147 casos de pessoas mortas que não foram identificadas.

Por último, a organização referiu que estes números não incluem as mais de 20 mil pessoas desaparecidas nos centros de detenção do regime sírio e outras mil desaparecidas em operações das tropas e suas milícias, em várias zonas em que foram perpetrados massacres.

Perto de 13.000 sírios morreram sob tortura nas prisões do regime de Bashar al-Assad desde o início do conflito no país há quatro anos, segundo o OSDH.

Também se desconhece o paradeiro de sete mil soldados e milicianos que se encontram prisioneiros e mais duas mil pessoas sequestradas pelos insurgentes e 'jihadistas', que as acusam de colaborar com o Governo sírio.


LUSA
  • "Já só lhes resta uma coisa: bisbilhotar comunicações privadas"
    2:57

    Caso CGD

    O primeiro-ministro diz que o PSD atingiu o grau zero da política, quando chegou à "bisbilhotice" de querer ver as mensagens trocadas entre o ministro das Finanças e António Domingues. A polémica da Caixa Geral de Depósitos voltou a marcar o debate quinzenal, com António Costa a garantir que nunca esteve em causa a entrega de declarações da administração. Já o PSD e o CDS a acusaram o Governo de violar as regras da transparência e de oprimir os direitos da oposição.

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • Técnica de defesa contra aperto de mão de Donald Trump
    1:39
  • Vídeo mostra aterragem de Harrison Ford que quase causou um desastre

    Mundo

    Harrison Ford quase provocou um grave acidente quando, ao pilotar um dos seus aviões, falhou a pista de aterragem e esteve muito perto de chocar contra um um Boeing 737, com mais de 100 pessoas a bordo. O incidente com o ator norte-americano, considerado um piloto experiente, aconteceu na passada segunda-feira, dia 13, no Condado de Orange, na Califórnia, e o momento foi captado em vídeo.

  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.

  • Vestidos da princesa Diana em exposição
    1:29

    Mundo

    As roupas mais emblemáticas da princesa Diana vão estar em exposição no Palácio de Kensington, em Londres, a partir de sexta-feira. O objetivo é mostrar a evolução do estilo da princesa de Gales, considerada um dos maiores ícones de moda de sempre.