sicnot

Perfil

Mundo

Religiosa cristã de 71 anos sofre violação coletiva na Índia

Um religiosa cristã de 71 anos foi vítima de uma violação coletiva na Índia, num ataque que coloca novamente em evidência a violência sexual contras as mulheres e contra as minorias cristãs naquele país. 

AP

A violação aconteceu durante um assalto na sexta-feira à noite, no estado de Bengala Ocidental, perto da cidade de Ranaghat, que fica a 70 quilómetros de Calcutá.

Um grupo entrou na escola, adjacente a um convento, e saquearam as instalações, segundo a polícia local.

Os assaltantes amordaçaram um guarda antes de agredir a religiosa. Levaram dinheiro, um computador portátil e um telemóvel. 

Quatro dos seis agressores foram identificados graças às imagens das câmaras de vigilância. Uma recompensa de 100 mil rupias (1.500 euros) está a ser oferecida para quem der informações sobre os suspeitos.

A religiosa está internada num hospital de Ranaghat.

"Mesmo que se diga que foi um incidente isolado, o ambiente era propício para este tipo de ataque. Simplesmente não se pode ignorar com alegações de que se trata de um incidente isolado", disse o porta-voz da diocese de Nova Deli, o padre Savarimuthu Sankar.

Cerca de 80% da população indiana é hindu, mas o país tem um número importante de muçulmanos, cristãos e budistas.

A agressão que sofreu a religiosa é a mais recente de uma série de casos de violência sexual contra as mulheres na Índia.

A questão da violação tornou-se mais sensível na Índia depois de um caso ocorrido em 2012, quando uma estudante foi vítima de uma violação coletiva num autocarro, em Nova Deli, e acabou por morrer devido aos ferimentos que lhe foram provocados, demonstrando a agressividade do ataque.


LUSA
  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Oliveira e Costa condenado a 14 anos de prisão

    País

    O fundador do grupo SLN/BPN, José Oliveira e Costa, foi esta quarta-feira condenado pelo tribunal a uma pena de prisão efetiva de 14 anos pelos crimes de falsificação de documentos, fraude fiscal qualificada, burla qualificada e branqueamento de capitais. Dos 15 arguidos no processo, 12 foram condenados.

    Em atualização

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras