sicnot

Perfil

Mundo

Ciclone Pam causa 24 mortos em Vanuatu

O ciclone Pam, que afetou o arquipélago de Vanuatu com ventos que superaram os 300 quilómetros por hora, causou a morte a 24 pessoas, confirmou hoje a Coordenação de Assuntos Humanitários das Nações Unidas (OCHA).

© POOL New / Reuters

De acordo com um relatório da OCHA, registaram-se "11 mortes em Tafea, oito em Efate e cinco em Tanna" na sequência do ciclone, o maior registado até à data, que assolou Vanuatu, atingindo o pico de intensidade na sexta-feira à noite, com ventos entre 250 e 270 quilómetros por hora, e rajadas de 340 quilómetros por hora na capital, Port Vila, além de chuvas torrenciais.

O arquipélago de Vanuatu, composto por mais de 80 ilhas que se estendem entre as Fiji e a Nova Caledónia, é um dos países mais pobres do mundo, e o seu presidente, Baldwin Lonsdale, expressou à AFP a necessidade de ajuda perante a catástrofe natural.

"A necessidade de ajuda humanitária é imediata, precisamos dela agora", disse quando se preparava para regressar a casa após participar na III Conferência Mundial da ONU sobre a Redução de Riscos de Desastres, no Japão, acrescentando que Vanuatu vai precisar de apoio financeiro e assistência para começar a reconstruir as infraestruturas, pois terá de "construir tudo" de novo.

Por seu lado, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) estimou que pelo menos 60.000 mil crianças carecem de assistência urgente após terem sido afetadas pelo ciclone, revelando-se particularmente preocupado com a "saúde, nutrição, segurança, educação e reconstrução" naquela região do Pacífico, onde também já chegou uma equipa da Organização Mundial de Saúde.

As agências internacionais de ajuda humanitária descrevem as condições de Vanuatu como as mais desafiadoras que já enfrentaram, piores do que o cenário encontrado após o tufão devastador nas Filipinas, em 2013, segundo notícias de hoje da AFP.

As equipas no terreno deparam-se com a dificuldade em distribuir os mantimentos para as 80 ilhas do arquipélago, advertindo que vão passar vários dias até a ajuda chegar às aldeias remotas afetadas pela tempestade.

No domingo, o Fundo Monetário Internacional ofereceu ajuda financeira a Vanuatu, enquanto o Banco Mundial e o Departamento para o Desenvolvimento Internacional do governo britânico anunciaram hoje o lançamento de um fundo de apoio a países em desenvolvimento para financiar projetos inovadores de capacitação das comunidades contra catástrofes naturais.







Lusa
  • "Almaraz: Uma bomba-relógio aqui ao lado"
    1:56
  • S. João do Porto sem balões
    2:36

    País

    No Porto, milhares de pessoas foram para a rua festejar o São João. Este ano houve tolerância zero no lançamento de balões, por causa do risco de incêndio. O fogo de artifício começou com mais de 15 minutos de atraso.

  • Mais de 100 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.