sicnot

Perfil

Mundo

Policias homossexuais venezuelanos obrigados a ocultar preferências sexuais

Os polícias venezuelanos que são homossexuais passaram a ser obrigados a ocultar publicamente a suas preferências porque isso "não vai" com a cultura venezuelana, disse o presidente da Comissão Presidencial para a Reforma Policial.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Carlos Garcia Rawlins / Reuters

"(Um homossexual) sim pode ser um funcionário policial sempre que não manifeste publicamente a sua apetência sexual, porque imaginem um funcionário que queira vestir uma camisa cor de rosa ou pintar os lábios", disse Freddy Bernal numa entrevista ao canal de privado de televisão Globovisión. 

Freddy Bernal frisou que não é contra a diversidade sexual e que todos os cidadãos têm direito a expressar a livre determinação sexual,  mas no caso dos funcionários "na Venezuela isso é contrário à cultura venezuelana". 

O ex-polícia defendeu, no entanto, que na Venezuela as pessoas não são discriminadas em função da raça, sexo ou condição social.

"Como socialistas aceitamos e valorizamos a condição humana, para além da condição sexual, mas numa academia de polícia tem que haver homens e mulheres que deem exemplo", afirmou.

Bernal questionou ainda o uso de tatuagens, brincos, ou querer "aparentar ser como um hippie". 
Lusa
  • Costa preparado para falar da renegociação da dívida no plano europeu
    2:24

    País

    O primeiro-ministro não quer quebrar com as regras impostas pela UE e não vai dar o primeiro passo na renegociação da dívida, mas estará na linha da frente quando Bruxelas ceder. Em entrevista à RTP, António Costa garante que o Governo cumpriu tudo aquilo que acordou com o presidente demissionário da Caixa Geral de Depósitos, António Domingues.

  • Nova Deli é "altamente tóxica" para os cidadãos

    Mundo

    Nova Deli foi considerada altamente tóxica para os cidadãos. A capital da Índia é considerada há mais de três anos a cidade mais poluída do mundo, mas só este ano se concluiu que é tão tóxica que é capaz de provocar doenças crónicas a quem lá vive.