sicnot

Perfil

Mundo

Israel boicota sessão na ONU sobre ofensiva em Gaza

Israel esteve hoje ausente dos debates no conselho dos Direitos Humanos da ONU sobre a ofensiva israelita na Faixa de Gaza, no verão passado, e a situação nos territórios palestinianos.  

Reuters

O representante israelita não se encontrava na sala, o que é considerado um boicote, disse fonte próxima do conselho, citada pela agência noticiosa francesa AFP.  

"Não comentamos", declarou uma porta-voz da missão israelita junto da ONU.  

O representante dos Estados Unidos também esteve ausente, bem como vários representantes de outros países ocidentais. Um porta-voz da missão norte-americana explicou que o embaixador Keith Harper se encontrava em Washington.  

A 19 de março, Washington advertiu que ia avaliar a sua posição em relação a Israel na ONU, onde tradicionalmente apoia o Estado hebreu, depois de o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu ter anunciado, na véspera das eleições legislativas israelitas, que se opunha à criação de um Estado palestiniano. 

Para o representante do Paquistão, que falava em nome da Organização da Conferência Islâmica, a ausência dos representantes ocidentais "constitui uma tentativa deliberada de prejudicar a credibilidade do Conselho dos Direitos Humanos". 

Israel continua a recusar colaborar com a comissão de inquérito da ONU, lançada pouco depois da ofensiva israelita do verão passado em Gaza. 

O conflito de 50 dias em Gaza no verão passado causou a morte de 2.140 palestinianos, na maioria civis, e 73 israelitas, quase todos militares. 

A comissão devia apresentar hoje as primeiras conclusões, mas os investigadores da ONU pediram o adiamento da divulgação do relatório para junho, devido à demissão, no início de fevereiro, do presidente da comissão, o jurista canadiano William Schabas, denunciado por Israel por "conflito de interesses". 

O conflito de interesses refere-se a um parecer jurídico que Schabas redigiu em 2012 para a Organização de Libertação da Palestina (OLP). 

Israel mantém relações conflituosas com o conselho dos Direitos Humanos da ONU e não hesitou em boicotar os trabalhos, depois de o conselho, onde estão representados 47 países, ter decidido - em março de 2012 - avançar com um inquérito às consequências dos colonatos judaicos nos territórios palestinianos ocupados. 

Este boicote terminou no final de outubro de 2013 quando o embaixador israelita Eviator Manor se apresentou ao conselho para defender a posição israelita em matéria de direitos humanos. 

Israel continua a não aceitar os relatórios e recomendações do conselho relativamente ao país. 


  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12

    Reportagem Especial

    Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa do corpo. "A Minha Outra Pátria", Reportagem Especial de hoje.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Como fugir às comissões bancárias
    7:24

    Contas Poupança

    Há muitos casos em que ter uma conta no banco está a dar prejuízo. Os juros são tão baixos e as comissões de manutenção de conta são tão altas que há portugueses que todos os meses perdem dinheiro apenas porque têm dinheiro no banco. O Contas Poupança foi à procura de alternativas.

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Produtores de maçã de Armamar dizem não ter recebido resposta do Ministério
    2:14

    País

    Os produtores de maçã de Armamar estão preocupados. Parte da produção foi destruída pelo mau tempo. Contudo, duas semanas depois, ainda não há resposta do Ministério da Agricultura aos pedidos de ajuda. Mais de 60 produtores com 800 hectares foram afetados e as árvores atingidas pelo granizo podem não conseguir produzir no próximo ano.

  • Bebé Charlie Grad já não vai receber tratamento nos EUA

    Mundo

    A mãe de Charlie Grad disse esta segunda-feira que o bebé poderia ter vivido uma vida normal, caso tivesse começado a receber tratamento cedo. Já o pai admitiu que o filho não iria viver até ao primeiro aniversário. O bebé foi diagnosticado com uma doença rara e um hospital em Inglaterra pediu permissão para desligar a ventilação artificial e fornecer-lhe cuidados paliativos. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aceitou e, até hoje, os pais travaram uma batalha na Justiça para suspender a decisão na esperança de irem tratar o filho nos Estados Unidos da América.

  • Número de mortos em atentado em Cabul sobe para 31

    Mundo

    O número de mortos no atentado com um carro armadilhado atribuído aos talibãs, esta segunda-feira de manhã em Cabul, subiu para 31, aos quais se somam cerca de 40 feridos, de acordo com um novo balanço das autoridades.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34