sicnot

Perfil

Mundo

Mulheres afegãs carregam caixão de Farkhunda e quebram a tradição

Centenas de pessoas participaram, ontem, no funeral de Farkhunda, a mulher de 27 anos, espancada até à morte, em Cabul, depois de ter sido falsamente acusada de queimar o Alcorão.  O caixão de Farkhunda carregado, em ombros, por um grupo de mulheres, quebrando assim a tradição dos funerais no Afeganistão. 

Este domingo, centenas ativistas dos direitos humanos e da sociedade civil, quiseram estar presentes no funeral de Farkhunda.

Este domingo, centenas ativistas dos direitos humanos e da sociedade civil, quiseram estar presentes no funeral de Farkhunda.

© Omar Sobhani / Reuters

Lágrimas e gritos de revolta marcaram o funeral de Farkhunda. 

A jovem de 27 anos, morreu prematuramente, nas mãos de uma multidão de homens enfurecidos, depois de ter sido acusada de queimar o livro sagrado do Islão.

Farkhunda foi espancada, apedrejada até à morte, e, por fim, atearam fogo ao seu corpo. O video da sua execução foi posto a circular nas redes sociais.

De acordo com testemunhas a polícia assistiu às agressões de braços cruzados.

O ataque está a ser duramente criticado tal como a atuação das autoridades o que levou o primeiro-ministro afegão a ordenar uma investigação.

Um representante do ministério do Interior afegão diz que não há indícios, que levem a acreditar, que Farkhunda tenha queimado o Alcorão. À imprensa local  o general Mohammad Zahir  garantiu que  "Farkhunda era completamente inocente". Anunciou ainda a detenção de treze pessoas suspeitas da morte de Farkhunda.

Este domingo, centenas  de pessoas, ativistas dos direitos humanos e da sociedade civil,  quiseram estar presentes no funeral. Um grupo de mulheres carregou, em ombros, o caixão de Farkhunda, quebrando assim a tradição, já que esta tarefa é exclusiva dos homens.

No Afeganistão, as mulheres sofrem ainda de discriminação e são, frequentemente, alvo de violência. 

  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • Duas pessoas alvejadas devido a disputa de linha de água em Cabeceiras de Basto
    1:23

    País

    Duas pessoas foram alvejadas por causa de uma disputa de uma linha de água, esta terça-feira, em Cabeceiras de Basto. O suspeito escondeu-se num barracão, mas acabou por ser detido pela GNR. As vítimas sofreram ferimentos ligeiros no braço e no peito. O tenente André Rodrigues, do Comando de Braga, revelou que os disparos foram feitos com uma caçadeira.

  • Governo quer entregar OE 2018 a 13 de outubro
    1:33
  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.

  • Três irmãos resgatados dos escombros em Itália
    1:24
  • Participante no incidente em Charlottesville teme pela vida
    1:43

    Mundo

    Um dos participantes nos incidentes em Charlottesville e membro de um grupo de extrema-direita supremacista teme vir a ser detido ou até morto, pelas declarações que fez durante uma reportagem da Vice News, que se tornou viral nas redes sociais.