sicnot

Perfil

Mundo

Poluição restringe circulação de veículos nas ruas de Paris

A capital francesa continua hoje com limitação de entrada de veículos devido à poluição dos últimos dias, estando apenas autorizados a circular na cidade os automóveis de matrícula impar, informaram as autoridades.

© Charles Platiau / Reuters

Desde as 05:30 locais (04:30 em Lisboa), que uma centena de controlos policiais vigiam as entradas na cidade, para garantirem que os automóveis de matrícula par não entram na capital.


Já nas ruas de Paris, 750 agentes da polícia garantem o cumprimento da limitação e podem autuar os infratores com uma multa de 22 euros.


Medidas idênticas de limitação à circulação foram implementadas na capital francesa em 1997 e, mais recentemente, em março do ano passado.


A circulação alternada, que afeta Paris e 22 localidades em seu redor, foi decidida domingo depois de vários dias de tensão entre as autoridades municipais, que queriam aplicar a medida, e o executivo, mais cauteloso.


Excluídos da limitação estão os veículos híbridos ou a gás, bem como aqueles que transportam, pelo menos, três pessoas, o que levou a uma redução do número de engarrafamentos na cidade.


Por outro lado, os transportes públicos são hoje gratuitos, bem como os serviços municipais de aluguer de veículos elétricos e de bicicletas.


Se forem mantidas as restrições, na terça-feira apenas os veículos de matrícula par poderão circular.


Lusa
  • Seca agrava prejuízos agrícolas no Alentejo
    2:11
  • Al Gore e Garry Kasparov vão estar na Web Summit

    Web Summit

    Al Gore, antigo vice-Presidente dos Estados Unidos da América, Garry Kasparov, lendário jogador de xadrez, e Steve Huffman, o dirigente e cofundador da rede social Reddit são os novos nomes anunciados para a 2.ª Web Summit em Lisboa.

  • Estudantes universitários poderiam estar a pagar propinas mais baixas
    2:02

    País

    Os alunos universtários poderiam estar a pagar propinas mais baixas do que pagam atualmente. A situação foi denunciada pela Federação Académica do Porto, que diz que os estudantes estão a pagar cerca de 100 euros a mais do que deviam. O INE admite, num documento enviado ao Governo, que pode existir um método melhor para o cálculo destes valores.