sicnot

Perfil

Mundo

Tunísia anuncia prisão de 23 suspeitos de envolvimento no atentado ao museu do Bardo

O Governo da Tunísia anunciou hoje ter desmantelado o essencial da "célula terrorista" responsável pelo ataque ao museu do Bardo apesar de pelo menos quatro suspeitos, dois marroquinos, um argelino e um tunisino, permanecerem em fuga. 

© Anis Mili / Reuters

"Foram presas 23 pessoas, incluindo uma mulher, que integravam uma célula terrorista", disse, em declarações aos 'media', o ministro do Interior, Najem Gharsalli, numa referência ao desmantelamento de "80% desta célula" envolvida no ataque ao museu. 

Todos os detidos são de nacionalidade tunisina. Pelo menos dois marroquinos, um argelino e um tunisino estão em fuga. Este último, Maher Ben Mouldi Kaidi, é acusado de ter fornecido armas automáticas aos dois homens que abateram em 18 de março 21 pessoas, 20 turistas estrangeiros e um polícia, adiantou o mesmo responsável. Os dois assaltantes foram mortos após intervenção de forças especiais tunisinas. 

Por sua vez, o chefe deste grupo, identificado como Mohamed Emine Guebli, terá sido detido. No entanto, o ministro indicou que "a operação terrorista foi dirigida pelo terrorista Lokmane Abou Sakhr", um líder 'jihadista' de nacionalidade argelina e considerado um dos dirigentes do Okba Ibn Nafaa, um grupo filiado na Al-Qaida e perseguido pelo exército há mais de dois anos nas montanhas fronteiriças com a Argélia. 

Desta forma, o ministro questionou a reivindicação do grupo Estado Islâmico (EI), ao considerar que o ataque foi perpetrado pelos seus rivais da Al-Qaida do Magrebe Islâmico (Aqmi). 

O ataque ao museu do Bardo, que suscitou forte reação no país e no exterior, foi o primeiro a provocar vítimas estrangeiras desde 2002, na sequência do atentado suicida de abril contra a sinagoga da Ghriba, ilha de Djerba e que provocou 19 mortos, incluindo 14 turistas alemães. 

A presidência tunisina decidiu organizar no domingo uma marcha internacional "contra o terrorismo" em Tunes, anunciada pelo Presidente Béji Caïd Essebsi durante uma intervenção televisiva na noite de quarta-feira.  

"A Tunísia prossegue o seu combate ao terrorismo, mas também persiste no seu compromisso com as reformas políticas anunciadas", disse o chefe de Estado que, segundo os observadores, representa o único país que garantiu uma transição para uma democracia consolidada na sequência das "primaveras árabes", iniciadas em dezembro de 2010 em solo tunisino. 







Lusa
  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por avalanche em Itália
    1:44
  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.