sicnot

Perfil

Mundo

Apagão paralisa parte da Turquia

Várias cidades da Turquia, incluindo a capital Ancara e Istambul, ficaram hoje paralisadas devido a um apagão, cujas causas ainda não foram determinadas.

Um vendedor de chá trabalha á luz das velas em Instambul

Um vendedor de chá trabalha á luz das velas em Instambul

SEDAT SUNA/EPA

O apagão ocorreu às 10:36 locais (08:36 hora de Lisboa) e deixou 49 das 81 províncias do país sem eletricidade, indicaram fontes oficiais citadas pelos 'media' locais.

Segundo a companhia nacional de eletricidade turca (Teias), a corrente elétrica poderá vir a ser restabelecida ao início da tarde em 10 províncias afetadas, bem como em vários bairros das duas principais cidades do país, Ancara e Istambul.

O apagão perturbou os serviços de transportes públicos em muitas cidades do país. Na capital turca e em Istambul, a circulação do metro foi interrompida e milhares de passageiros foram retirados das estações sem registo de incidentes.

Em Istambul, o serviço de elétricos e o túnel ferroviário que liga a margem asiática e a margem europeia daquela cidade também foram encerrados.

O apagão também afetou a circulação automóvel, devido à falta de sinalização, as comunicações telefónicas e de Internet, bem como a atividade de várias empresas e comércio do país.

O primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, referiu que o apagão poderá ter tido uma origem técnica, afirmando, no entanto, que "todas as pistas estão a ser neste momento estudadas", em resposta a um jornalista que o questionou sobre a eventualidade de um ataque terrorista.

"Estamos a investigar para determinar as causas que provocaram este apagão", afirmou, por sua vez, o ministro da Energia turco, Taner Yildiz, sublinhando que esta falha de eletricidade foi a mais grave dos últimos 15 anos.



Lusa
  • Vídeo 360º: nos céus de Lisboa como nunca esteve

    País

    Três Alpha Jet da Força Aérea Portuguesa estiveram presentes sobre o Jamor, durante a final da Taça entre o Benfica e o Vitória de Guimarães. A SIC e o Expresso acompanharam a passagem das aeronaves através da colocação de câmaras 360º no cockpit de duas delas.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • Gelado de champanhe no centro de mais uma polémica que envolve Ivanka Trump 

    Mundo

    A filha do Presidente Donald Trump está envolvida em mais uma polémica depois de uma publicação da sua marca no Twitter durante o Memorial Day, assinalado esta segunda-feira. Feriado nacional nos Estados Unidos, criado após a Guerra Civil, a data presta homenagem aos militares americanos que morreram em combate. Um dia solene, no qual muitos acolheram mal a dica da marca da atual conselheira da Casa Branca: "Façam gelados de champanhe".

  • Morreu Yoshe Oka, a "hibakusha" que avisou o Japão sobre o ataque a Hiroshima

    Mundo

    Yoshe Oka, a primeira sobrevivente de Hiroshima que informou por telefone as autoridades japonesas sobre a destruição da cidade, em 1945, morreu com 86 anos, vítima de cancro, revelou hoje a família. A "hibakusha", nome pelo qual são conhecidos os sobreviventes dos ataques a Hiroshima e Nagasaki, sofria de doenças relacionadas com os efeitos do bombardeamento. Apesar das consequências do ataque, Oka difundiu, ao longo da vida, a experiência sobre o bombardeamento tendo participado em inúmeros atos pacifistas.