sicnot

Perfil

Mundo

Ex-polícia alemão condenado por matar homem que conheceu em site de canibalismo

Um tribunal da Alemanha condenou hoje um antigo agente da polícia a oito anos e seis meses de prisão por matar um homem que conheceu através de um site para fetichistas de canibalismo.

Dresden, Alemanha

Dresden, Alemanha

© Hannibal Hanschke / Reuters

Detlev Guenzel, 57 anos, foi julgado pelo tribunal de Dresden (leste) pelo homicídio do empresário polaco Wojciech Stempniewicz, 59, na hospedaria de que o alemão é proprietário na localidade de Hartmannsdorf-Reichenau, perto da fronteira com a República Checa, em novembro de 2013. 

Segundo os procuradores do Ministério Público, o acusado utilizou uma serra elétrica para cortar o corpo da vítima em pequenas partes que enterrou no jardim, não havendo provas de que tenha comido alguma parte da vítima. 

A acusação pediu uma condenação a 10 anos e meio de prisão para o ex-polícia, pai de três filhos adultos e descrito pelos vizinhos como simpático, generoso e muito educado.

Os advogados que representam a vítima pediram uma pena de 15 anos, a pena máxima em caso de homicídio. 

O tribunal considerou como atenuante o facto de a vítima ter manifestado o desejo de ser morta.

Os dois homens conheceram-se em outubro de 2013 num 'site' sobre fantasias canibalistas que afirma ter mais de 3.000 membros.

Lusa

  • Resgate de mais de 300 migrantes no Mediterrâneo
    2:08
  • 10 Minutos com Eurico Reis
    11:20

    10 Minutos

    Há quatro meses que Portugal é um dos poucos países europeus onde é possível recorrer à gestação de substituição. E há já um casal que teve luz verde para começar os tratamentos. Para um balanço, foi nosso convidado Eurico Reis, juiz desembargador e presidente do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida, a entidade que autoriza os processos de gestação de substituição.

    Entrevista completa

  • Parlamento discute utilização de animais no circo
    2:01