sicnot

Perfil

Mundo

Governo português defende regresso ao diálogo no Iémen

O governo português defendeu hoje o regresso ao diálogo no Iémen e reiterou o apoio aos esforços da ONU para encontrar uma solução para a crise no país. 

© Stringer . / Reuters

É "essencial um retorno ao diálogo que permita uma solução política e abrangente, que preserve a integridade territorial, a estabilidade e a segurança do Iémen. A instabilidade no Iémen potencia também a atividade de grupos terroristas e extremistas, com os riscos regionais e globais daí resultantes", de acordo com um comunicado divulgado pelo ministério dos Negócios Estrangeiros. 

O executivo de Pedro Passos Coelho manifestou ainda "particular preocupação com os efeitos desta crise na já difícil situação da população iemenita". 

O Iémen vive uma crise política desde 22 de janeiro na sequência da renúncia do Presidente Abd Rabbo Mansur Hadi e do governo, dois dias depois de a milícia xiita "hutis" ter assumido o controlo do palácio presidencial.

Os "hutis" já controlam sete províncias do país e expulsaram as autoridades eleitas, mas a ONU considera Abd Rabbo Mansur Hadi o "Presidente legítimo" do Iémen.

O Presidente exilou-se a semana passada na Arábia Saudita, país que lidera uma coligação de nove países árabes - Bahrein, Egito, Emirados Árabes Unidos, Jordânia, Kuwait, Marrocos, Qatar, Paquistão e Sudão - que realiza uma ofensiva contra os rebeldes.

Na segunda-feira, os ataques da coligação atingiram um campo de deslocados, e provocaram dezenas de mortos e feridos, de acordo com informações dos rebeldes. A ONU confirmou que pelo menos 29 civis morreram e 41 ficaram feridos.

O Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos alertou para a rápida deterioração da situação no Iémen e avisou que o país se encontra próximo do "colapso total".



Lusa
  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31