sicnot

Perfil

Mundo

Obama e Raul Castro juntos na Cimeira das Américas

Os presidentes dos Estados Unidos e de Cuba vão reunir-se durante a Cimeira das Américas, na próxima semana, no Panamá, indicou a diplomacia norte-americana, no âmbito da aproximação histórica entre os dois países.

© Enrique de la Osa / Reuters

O Departamento de Estado indicou ser pouco provável que Washington e La Havana possam reabrir as respetivas embaixadas até à realização desta reunião internacional, a 10 e 11 de abril, como foi anunciado. 

"O presidente Barack Obama sabia, ao decidir participar na Cimeira, que Cuba tinha sido convidada e que haveria uma interação. Os dirigentes estarão juntos a maior parte do tempo. Haverá portanto um intercâmbio com Raul Castro", declarou a secretária de Estado adjunta para a América Latina, Roberta Jacobson. 

"Além do encontro bilateral com o presidente (do Panamá Juan Carlos) Varela, nenhuma outra reunião está programada, portanto não sei exatamente que tipo de interação acontecerá", acrescentou a diplomata, sem pormenores. 

Esta Cimeira das Américas, onde estarão presentes os presidentes Obama e Castro, entre 34 dirigentes, assume um destaque particular por acontecer depois do anúncio histórico, a 17 de dezembro passado, da restauração das relações diplomáticas entre Washington e La Havana, após meio século de tensões herdadas da Guerra-Fria. 

Os dois países já realizaram, em janeiro, fevereiro e março, ciclos de negociações oficiais para o restabelecimento das relações diplomáticas e a reabertura das embaixadas. 

Washington tinha como objetivo reabrir a chancelaria em La Havana antes da Cimeira das Américas. Cuba faria o mesmo com a embaixada na capital federal norte-americana. 

Mas "a Cimeira começa dentro de seis dias (...) o que não dá muito tempo", disse Marie Harf, uma das porta-vozes do Departamento de Estado, . 

Os dois governos mantêm contactos, desde 1977, através de secções de interesses que funcionam como chancelarias. 







Lusa
  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.