sicnot

Perfil

Mundo

Obama e Raul Castro juntos na Cimeira das Américas

Os presidentes dos Estados Unidos e de Cuba vão reunir-se durante a Cimeira das Américas, na próxima semana, no Panamá, indicou a diplomacia norte-americana, no âmbito da aproximação histórica entre os dois países.

© Enrique de la Osa / Reuters

O Departamento de Estado indicou ser pouco provável que Washington e La Havana possam reabrir as respetivas embaixadas até à realização desta reunião internacional, a 10 e 11 de abril, como foi anunciado. 

"O presidente Barack Obama sabia, ao decidir participar na Cimeira, que Cuba tinha sido convidada e que haveria uma interação. Os dirigentes estarão juntos a maior parte do tempo. Haverá portanto um intercâmbio com Raul Castro", declarou a secretária de Estado adjunta para a América Latina, Roberta Jacobson. 

"Além do encontro bilateral com o presidente (do Panamá Juan Carlos) Varela, nenhuma outra reunião está programada, portanto não sei exatamente que tipo de interação acontecerá", acrescentou a diplomata, sem pormenores. 

Esta Cimeira das Américas, onde estarão presentes os presidentes Obama e Castro, entre 34 dirigentes, assume um destaque particular por acontecer depois do anúncio histórico, a 17 de dezembro passado, da restauração das relações diplomáticas entre Washington e La Havana, após meio século de tensões herdadas da Guerra-Fria. 

Os dois países já realizaram, em janeiro, fevereiro e março, ciclos de negociações oficiais para o restabelecimento das relações diplomáticas e a reabertura das embaixadas. 

Washington tinha como objetivo reabrir a chancelaria em La Havana antes da Cimeira das Américas. Cuba faria o mesmo com a embaixada na capital federal norte-americana. 

Mas "a Cimeira começa dentro de seis dias (...) o que não dá muito tempo", disse Marie Harf, uma das porta-vozes do Departamento de Estado, . 

Os dois governos mantêm contactos, desde 1977, através de secções de interesses que funcionam como chancelarias. 







Lusa
  • A estreia de Centeno como líder do Eurogrupo
    1:56
  • Puigdemont chegou à Dinamarca e não foi detido

    Mundo

    A Justiça espanhola pediu à Dinamarca para ativar a ordem de detenção europeia contra Carles Puigdemont, que ignorou as ameaças de detenção e decidiu deslocar-se a Copenhaga para participar numa conferência. Entretanto na Catalunha, o presidente do parlamento propôs Puigdemont para voltar a dirigir o Governo Regional.

  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

    Luís Marques Mendes

  • O caso Assange é "um problema" para o Equador

    Mundo

    O Presidente equatoriano, Lenin Moreno, declarou no domingo que o asilo atribuído ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, pela embaixada do Equador em Londres desde 2012 é "um problema herdado" que constitui "mais que um aborrecimento".