sicnot

Perfil

Mundo

Sobrevivente do ataque a universidade no Quénia esteve dois dias escondida num armário

Uma sobrevivente do ataque à Universidade de Garissa, no Quénia, foi hoje descoberta escondida dentro de um armário do edifício, mais de 50 horas depois do ataque que fez 148 mortos, a maioria estudantes, anunciou a Cruz Vermelha.

© Thomas Mukoya / Reuters

"Uma sobrevivente foi encontrada dentro da Universidade" pelas forças de segurança que se encontram no campus universitário, disse à agência de notícias francesa AFP Arnolda Shiundu, responsável pela comunicação da Cruz Vermelha no Quénia.

"Ela estava escondida dentro de um armário", especificou a mesma fonte.

Segundo Arnolda Shiundu a sobrevivente "foi levada para o hospital e está a ser examinada pelos médicos".

De acordo com uma fonte policial em Garissa, a sobrevivente esteve escondida num armário durante dois dias, tendo sido descoberta a meio da manhã de sábado, mais de 50 horas após o início do ataque perpetrado por um comando do grupo radical islâmico somali Al Shabab.

Em comunicado, este grupo ameaçou hoje fazer novos ataques no Quénia se o Governo não retirar as tropas que tem destacadas na Somália.

Na nota, intitulada 'Enterrando as esperanças do Quénia', os autores do atentado que na sexta-feira causou 148 mortos na universidade de Garissa, advertem que a presença do exército queniano na Somália, que acusam de matar civis e bombardear povos, levará a mais represálias contra a população queniana, que responsabilizam por ter elegido o atual Governo.

"Enquanto o vosso Governo persistir no caminho da opressão, pondo em prática políticas repressivas e continuar com a sistemática perseguição de muçulmanos inocentes, os nossos ataques também continuarão", adiantam no comunicado.

O ataque à universidade de Garissa foi o mais mortífero em solo queniano depois do atentado da Al Qaida contra a embaixada norte-americana em Nairobi em 1998, que causou 231 mortos.

No comunicado, cuja autenticidade foi confirmada por um porta-voz do Al Shabab, os islamitas ligados à Al Qaida explicam que no ataque à universidade separaram os muçulmanos dos cristãos para matar apenas estes.

 





Lusa
  • Fogo na baixa do Porto provoca quatro feridos, dois em estado grave
    1:38

    New Articles

    Um incêndio em três habitações na baixa do Porto, que deflagrou esta noite, provocou quatro feridos, dois em estado grave. O fogo que foi extinto pelos Bombeiros Sapadores do Porto causou cinco desalojados, dos quais quatro foram acolhidos por familiares e um realojado pela junta de freguesia. Desconhece-se a origem das chamas que destruíram três casas.

  • O primeiro dia de Donald Trump na Casa Branca
    3:05
  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.