sicnot

Perfil

Mundo

Sobrevivente do ataque a universidade no Quénia esteve dois dias escondida num armário

Uma sobrevivente do ataque à Universidade de Garissa, no Quénia, foi hoje descoberta escondida dentro de um armário do edifício, mais de 50 horas depois do ataque que fez 148 mortos, a maioria estudantes, anunciou a Cruz Vermelha.

© Thomas Mukoya / Reuters

"Uma sobrevivente foi encontrada dentro da Universidade" pelas forças de segurança que se encontram no campus universitário, disse à agência de notícias francesa AFP Arnolda Shiundu, responsável pela comunicação da Cruz Vermelha no Quénia.

"Ela estava escondida dentro de um armário", especificou a mesma fonte.

Segundo Arnolda Shiundu a sobrevivente "foi levada para o hospital e está a ser examinada pelos médicos".

De acordo com uma fonte policial em Garissa, a sobrevivente esteve escondida num armário durante dois dias, tendo sido descoberta a meio da manhã de sábado, mais de 50 horas após o início do ataque perpetrado por um comando do grupo radical islâmico somali Al Shabab.

Em comunicado, este grupo ameaçou hoje fazer novos ataques no Quénia se o Governo não retirar as tropas que tem destacadas na Somália.

Na nota, intitulada 'Enterrando as esperanças do Quénia', os autores do atentado que na sexta-feira causou 148 mortos na universidade de Garissa, advertem que a presença do exército queniano na Somália, que acusam de matar civis e bombardear povos, levará a mais represálias contra a população queniana, que responsabilizam por ter elegido o atual Governo.

"Enquanto o vosso Governo persistir no caminho da opressão, pondo em prática políticas repressivas e continuar com a sistemática perseguição de muçulmanos inocentes, os nossos ataques também continuarão", adiantam no comunicado.

O ataque à universidade de Garissa foi o mais mortífero em solo queniano depois do atentado da Al Qaida contra a embaixada norte-americana em Nairobi em 1998, que causou 231 mortos.

No comunicado, cuja autenticidade foi confirmada por um porta-voz do Al Shabab, os islamitas ligados à Al Qaida explicam que no ataque à universidade separaram os muçulmanos dos cristãos para matar apenas estes.

 





Lusa
  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.

  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.