sicnot

Perfil

Mundo

Forças especiais francesas libertam no Mali holandês sequestrado em 2011

As forças especiais francesas libertaram hoje, no norte do Mali, o refém holandês Sjaak Rijke, sequestrado pela Al-Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) em novembro de 2011, tendo capturado vários terroristas, indicou o Ministério da Defesa francês. 

Soldado francês no Mali.

Soldado francês no Mali.

© Joe Penney / Reuters

A operação decorreu pelas 04:00 TMG (05:00 em Lisboa) no "extremo norte" do Mali e Rijke encontra-se "são e salvo" na base de Tessalit, posto avançado da operação 'Barkhane' das forças franceses no país, de acordo com um comunicado do ministério. 

O holandês foi sequestrado em 25 de novembro de 2011 em Tumbuctu. 

Em finais do ano passado, surgiu num vídeo junto ao francês Serge Lazaveric, libertado em novembro passado, num ponto da fronteira entre o Mali e o Níger. 

"A libertação de Rijke lembra a determinação sem descanso de França na luta contra os grupos terroristas armados na região do Sahel", segundo o ministério. 

No último ano, 500 militares holandeses participam na estabilização e segurança do Mali, no âmbito da Missão Multidimensão Integrada da ONU para a Estabilização do Mali (MINUSMA). 

O ministro da Defesa francês, Jean-Yves Le Drian, informou já a homóloga holandesa, Jeanine Hennis-Plasschaert, referiu o comunicado. 

"A França vai prosseguir as ações antiterroristas no Sahel enquanto a nossa segurança for ameaçada por estes grupos", indicou Drian, citado no mesmo comunicado.

O ministro enviou uma mensagem de felicitações às forças francesas e as de cinco outros países que têm contingentes destacados na operação 'Barkhane", num total de três mil efetivos. 


Lusa
  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.