sicnot

Perfil

Mundo

Apoiantes de Boris Nemtsov prestam homenagem ao líder da oposição russa assassinado

Centenas de apoiantes do líder da oposição russa Boris Nemtsov prestaram hoje homenagem ao político no local onde foi assassinado, a 27 de Fevereiro, junto ao Kremlin, em Moscovo. 

© Grigory Dukor / Reuters

Amigos e ex-colegas de Boris Nemtsov contrariaram o tradicional minuto de silêncio com um "minuto sem silêncio", 40 dias depois do líder da oposição ter sido alvejado numa ponte, junto ao Kremlin, avança a agência francesa France Press. 

No "minuto sem silêncio" participaram vários carros que buzinaram ao passar pelo memorial coberto de flores.

"Ele (Boris Nemtsov) era um pensador livre, alguém verdadeiramente livre," disse à AFP um homem que se identificou como Yan. "Ele sempre foi um símbolo incomparável de coragem, alguém a quem admirar e seguir o exemplo".

A ponte tem sido coberta de flores, fotografias e mensagens, e continua a ser o local escolhido pelos apoiantes de Nemtsov para o homenagearem e se despedirem.

Contudo, o memorial tem sofrido atos de vandalismo de ativistas nacionalistas e também chegou a ser limpo, por ordem das autoridades da cidade, que argumentaram com a necessidade de limpeza do local. 

A homenagem foi feita porque os russos ortodoxos tradicionamente comemoram o quadragésimo dia após a morte de uma pessoa, pois acreditam que é nessa altura que a alma deixa o corpo.

Boris Nemtsov foi a figura mais importante da oposição ao Kremlin a ser assassinada durante os 15 anos de Vladimir Putin no poder.

A investigação policial já conduziu à detenção de cinco homens da região do norte do Cáucaso,  suspeitos de terem assassinado o líder da oposição russa.

Desconhece-se ainda quem acionou os cinco detidos, com os aliados de Nemtsov a acusarem o Kremlin do crime.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14