sicnot

Perfil

Mundo

Padre católico austríaco considera celibato de Hitler um exemplo para sacerdotes

Um padre católico austríaco afirmou hoje que os sacerdotes devem obedecer ao celibato para servir os seus paroquianos, da mesma forma que Hitler não se casou para servir o povo alemão, informaram meios locais. 

AP/ Arquivo

"Hitler tomou o celibato como modelo em 'A Minha Luta'", assegurou num jornal paroquial o sacerdote Eberhard Amann, referindo-se ao livro que o dirigente nazi explicou a sua ideologia e cuja venda está proibida na Áustria. 

"Ele não se casou porque, tal como o sacerdote na sua paróquia, queria estar só para o povo alemão", argumentou o padre.

Amann, responsável da paróquia de Sankt Gallenkircher, na região de Vorarlberg, incluiu este comentário no número de abril da publicação paroquial, informou o portal Vorarlberg Online.

Segundo a radiotelevisão pública austríaca, ORF, o pároco lamentou que se tenha voltado a publicar um comentário que estava incluído num artigo sobre o celibato que escreveu há 20 anos. 

A Igreja Católica austríaca, através da diocese de Feldkirch, considerou que o comentário supõe uma falta grave e que o horror do nazismo nunca se pode usar como elemento de argumentação, indicou a ORF. 



Lusa
  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida