sicnot

Perfil

Mundo

Doente terminal russo quer submeter-se a um transplante de cabeça

Um doente russo com atrofia muscular espinal, uma grave doença degenerativa de origem genética, quer submeter-se a uma intervenção cirúrgica pioneira em que a sua cabeça seria transplantada para um corpo saudável, divulgaram hoje os "media" russos. 

© Keith Bedford / Reuters

Segundo a comunicação social russa, o paciente, um programador identificado como Valeri Spiridonov, terá entrado em contacto com o controverso médico italiano Sergio Canavero, que acredita que será tecnicamente possível realizar esta intervenção cirúrgica em 2016. 

"Esta é a minha decisão final e não penso mudar. Medo? Claro que tenho, mas se não tentar, o meu futuro pode ser ainda pior", afirmou o doente, de 30 anos. 

O programador russo comparou este procedimento cirúrgico com a conquista do espaço: "Esta experiência é um grande avanço científico que está ao mesmo nível do voo de [Yuri] Gagarin [o cosmonauta russo que foi o primeiro homem a ir ao espaço]", disse Valeri Spiridonov, em declarações à televisão russa Zvezda. 

O tempo joga contra Spiridonov, que piora a cada dia que passa e que já superou a esperança de vida normalmente atribuída às pessoas que sofrem desta doença, marcada pela degeneração do neurónio motor medular e pela perda gradual de massa muscular.

Em declarações à agência russa Interfax, Valeri Spiridonov afirmou que recebeu um convite para participar numa conferência internacional de neurocirurgiões em Illinois, nos Estados Unidos, este verão. 

"Recebi o convite do doutor Canavero, que concorda em realizar a operação. Agora o importante é encontrar os meios necessários", referiu. 

Spiridonov disse ainda que está preparado psicologicamente para fazer a intervenção, uma vez que tem recebido o acompanhamento necessário, incluindo da mãe que é psicóloga.

O italiano Sergio Canavero pretende reunir uma equipa de 150 médicos e enfermeiras para realizar a operação cirúrgica, que deverá custar mais de 10,3 milhões de euros. 

A única referência que existe sobre uma operação com contornos idênticos remonta à década de 1970, quando o médico Robert White, da Universidade de Medicina Case Western Reserve (Estados Unidos), transplantou a cabeça de um macaco para o corpo de um outro macaco.

O animal acabou por morrer oito dias depois da intervenção cirúrgica.


Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.