sicnot

Perfil

Mundo

Indonésia adia execução de condenados, incluindo de um brasileiro

A Procuradoria indonésia anunciou hoje que a próxima execução de vários condenados à morte por tráfico de droga, incluindo de um brasileiro, vai ser adiada para depois do Congresso Ásia-África, previsto para o final do mês.

O brasileiro Rodrigo Gularte, 42 anos, foi condenado à morte na Indonésia (EFE/ Arquivo)

O brasileiro Rodrigo Gularte, 42 anos, foi condenado à morte na Indonésia (EFE/ Arquivo)

Efe

"A próxima celebração do congresso Ásia-África é a principal razão para a suspensão", disse o porta-voz da Procuradoria, Tonny T. Spontana, que inicialmente tinha indicado que a execução realizar-se-ia em abril, informa o jornal The Jakarta Post.

 

O cidadão brasileiro Rodrigo Gularte, detido em 2004 com seis quilos de cocaína escondidos em pranchas de surf, e condenado no ano seguinte, 2005, figura entre os 11 presos no corredor da morte, à espera de enfrentar o pelotão de fuzilamento.

 

As autoridades não querem levar a cabo as execuções enquanto estiverem na Indonésia os líderes africanos e asiáticos que vão assistir ao congresso e comemorar o 60.º aniversário da Conferência de Bandung, entre 18 e 24 de abril.

 

Apesar dos pedidos de clemência por parte dos países de origem dos condenados, como a Austrália, Brasil e França, o Presidente indonésio, Joko Widodo, reiterou a firmeza do seu Governo contra o tráfico de droga e rejeitou todos os apelos.

 

Em janeiro, a Indonésia executou seis traficantes de droga, incluindo o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, o que causou uma crise diplomática entre a Indonésia e o Brasil.

 

A Indonésia, que retomou as execuções em 2013 depois de cinco anos de moratória, tem 133 prisioneiros no corredor da morte, dos quais 57 condenados por tráfico de droga, dois por terrorismo e 74 por outros crimes.

 

 Lusa

 

 

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.