sicnot

Perfil

Mundo

Mulher diz ter visto mais de 50 meninas nigerianas sequestradas em 2014

Uma mulher garantiu hoje à televisão britânica BBC ter visto com vida, há três semanas, mais de 50 das 200 meninas sequestradas no ano passado pelo grupo terrorista Boko Haram em Chibok, uma aldeia no nordeste da Nigéria.

© Phil McCarten / Reuters

A testemunha afirmou que viu na localidade de Gwoza, também no nordeste do país, as meninas que desapareceram na madrugada de 14 de abril de 2014.

"Disseram-nos que eram as meninas de Chibok e que estavam retidas numa casa muito grande, quando nos cruzámos com elas na mesma rua", disse à BBC a mulher, que não quis identificar-se por medo de represálias do Boko Haram.

A testemunha, que vive em Gwoza, declarou ter visto as meninas vestidas com roupa islâmica e acompanhadas por membros do grupo terrorista.

Em finais do mês de março, o exército nigeriano tomou a cidade de Gwoza, uma das maiores zonas sob o controlo do Boko Haram e considerada o quartel-general do grupo 'jihadista'.

Em abril do ano passado, meia centena de homens armados irrompeu por uma escola de Chibok e capturou 200 meninas que, desde aquele ataque, só foram vistas uma vez, através de um vídeo divulgado pelo grupo 'jihadista', que anunciava que ia vendê-las como esposas em diferentes países africanos.

Outra mulher também assegurou ter-se cruzado há cinco meses, em novembro de 2014, com as meninas sequestradas num acampamento na localidade de Bita, no noroeste do país.

"Cerca de uma semana depois de terem chegado ao acampamento militar, uma de nós assomou a uma janela e perguntou-lhes: 'São as meninas de Chibok?' e responderam-nos que 'sim'. Acreditámos nelas e não voltámos a perguntar-lhes, disse à BBC.

"Tinham aulas de Corão, cozinhavam e penteavam-se umas às outras. Tratavam-nas de forma diferente, a sua comida era melhor e a sua água mais limpa", explicou a mulher.







Lusa
  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.