sicnot

Perfil

Mundo

UNESCO classifica destruição do património de Nimroud pelo grupo Estado Islâmico "ato de loucura"

A UNESCO classificou hoje como "um ato de loucura" a destruição da cidade antiga de Nimroud, no Iraque, pelo grupo Estado Islâmico.

Reuters

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, Irina Bokova, condenou em comunicado os atos que estão a "apagar a história do povo iraquiano".

As declarações surgem depois de o grupo ter publicado no sábado um vídeo em que mostra os seus combatentes a fazer explodir espaços arqueológicos e obras de arte em Nimroud.

"Eu condeno este ato de loucura destruidora, que marca uma nova escalada de terror", declarou a diretora-geral da UNESCO.

Irina Bokova considerou que as ações do grupo Estado Islâmico "confirmam que os terroristas não se limitam a destruir figuras", tais como estátuas ou baixos relevos, "mas também os próprios locais" com o objetivo de "eliminar sistematicamente todos os traços de história do povo iraquiano".

De acordo com as imagens, sem data, a cidade antiga de Nimroud, situada 30 quilómetros a sudeste de Mossoul, foi totalmente destruída.

A situação já tinha sido denunciada e criticada pela UNESCO há mais de um mês, mas só com o vídeo publicado no sábado foram conhecidos os pormenores da devastação.

"A destruição deliberada do património é um crime de guerra", destacou Irina Bokova, para quem os autores devem ser julgados.

O grupo Estado Islâmico tem justificado a destruição de relíquias históricas com o propósito de querer eliminar representações e locais de culto nos territórios da Síria e Iraque.

Nas últimas semanas foi anunciada também a destruição de Hatra, cidade do período romano inscrita na lista de património mundial da UNESCO, bem como de peças do museu de Mossoul.





Lusa
  • Proteção Civil alerta para inundações pontuais no país
    1:27