sicnot

Perfil

Mundo

Procuradoria da Catânia responsabiliza comandante e iliba navio português

O comandante da embarcação que naufragou no passado fim de semana, com centenas de migrantes a bordo, foi apontado pela procuradoria siciliana de Catânia como o principal responsável pelo drama, afastando qualquer responsabilidade de um navio português. 

© Stringer . / Reuters

Os sobreviventes desta nova hecatombe de migrantes, uma das mais trágicas no Mediterrâneo, com cerca de 800 mortes presumidas, chegaram ao início de terça-feira à Sicília, ao mesmo tempo que os dois traficantes de pessoas, que foram detidos. Estes vão ser ouvidos por um magistrado, que depois decide se os acusa ou não. Enquanto esperam, permanecem encarcerados na Catânia.  

A responsabilização do comandante do navio, um tunisino de 27 anos, Mohammed Ali Malek, é inquestionável. É acusado de naufrágio involuntário, homicídio múltiplo involuntário e favorecimento de imigração clandestina, segundo a justiça italiana. 

Para os procuradores encarregues do inquérito, o homem provocou o naufrágio ao sobrecarregar o navio e mostrar-se incapaz de o manobrar perante a aproximação de um cargueiro português, que o vinha socorrer e com o qual entrou em colisão. 

A tripulação do cargueiro, o primeiro a acudir depois do lançamento do pedido de socorro na noite de sábado para domingo, "em nada contribuiu" para o drama, assegurou a procuradoria. 

O balanço oficial do naufrágio é de 24 mortos e 28 sobreviventes, mas o número dos desaparecidos está estimado em cerca de 800 pelas organizações humanitárias internacionais. 

A procuradoria não confirma este número, mas estima em 850 o número de pessoas a bordo deste barco de pesca com 20 metros, com base nos depoimentos dos sobreviventes e nas estimativas da tripulação do navio português. 

O pequeno número de sobreviventes é explicado pela procuradoria com o facto de "numerosos migrantes, entre os quais mulheres e crianças, estarem fechados no porão". 

Lusa
  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.