sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 14 imigrantes morreram colhidos por comboio na Macedónia

Pelo menos 14 imigrantes morreram e dez ficaram feridos ao serem atingidos por um comboio, na noite de quinta-feira, perto da cidade de Veles, no centro da Macedónia, informou hoje a polícia.

© Marko Djurica / Reuters

O acidente aconteceu por volta das 20:30 TMG (21:30 em Lisboa), quando um grupo de 50 imigrantes ilegais caminhava pelos carris e o comboio apareceu por trás e acabou por os colher.

O grupo caminhava pelos carris devido à falta de espaço, pois o local do acidente é um espaço muito estreito entre montanhas.

Segundo a polícia, a metade do grupo conseguiu colocar-se a salvo.

O comboio de passageiros fazia a rota regular internacional entre Salónica, na Grécia, e Belgrado, na Sérvia.

Segundo as primeiras informações, o grupo era oriundo maioritariamente da Somália e do Afeganistão.

Nos últimos meses, dez imigrantes ilegais morreram na Macedónia aos serem atropelados por comboios, em vários acidentes com caraterísticas similares. 

No último ano, o número de imigrantes que cruzam o território macedónio, a partir da Grécia, aumentou sensivelmente, na sua maioria refugiados sírios, afegãos ou somalis.

Em geral, utilizam as linhas férreas para chegar até à Sérvia, onde continuam a caminhada para os países ocidentais da União Europeia.


Lusa


  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.