sicnot

Perfil

Mundo

Chuvas de 2015 já mataram 178 pessoas em Angola

As chuvas do primeiro trimestre deste ano, em Angola, já provocaram 178 mortos e só na última noite deixaram mais de 100 famílias ao relento no Libolo, província do Cuanza Sul. 

© Finbarr O'Reilly / Reuters

Segundo o administrador municipal do Libolo, José Maria Silvestre, as chuvas provocaram a destruição total e parcial de 55 casas naquela localidade, estando os seus ocupantes ao relento.

O responsável, citado hoje pela rádio pública angolana, referiu ainda que alguns dos sinistrados foram acolhidos por familiares e outros continuam a aguardar apoio do governo da província.

Ainda na província do Cuanza Sul, nos arredores da cidade do Sumbe, 88 casas desabaram e uma ponte ficou destruída na sequência das fortes chuvas que caíram sobre aquela região nas últimas 48 horas. 

Segundo o porta-voz do Serviço Nacional de Proteção Civil e Bombeiros, Faustino Sebastião, está a ser realizado um levantamento da situação, para posterior apoio às famílias.

Na província angolana do Uíge, norte de Angola, 119 famílias ficaram desalojadas em dois municípios, na sequência das fortes chuvas que caíram sobre aquela região nas últimas horas, informou hoje o responsável local do serviço de proteção civil e bombeiros.

Igildo Fernando disse que 20 casas ficaram destruídas nos municípios de Ambuíla e de Bembe, estando as famílias abrigadas em casa de familiares e em escolas.

Segundo dados do Serviço Nacional de Proteção Civil e Bombeiros, referentes ao período entre 1 de janeiro a 26 de março, as chuvas já causaram em todo o país a morte de 178 pessoas, o ferimento de 203 outras e o desaparecimento de 18 outras, afetando globalmente 48.274 pessoas.

Nos três primeiros meses do ano, as chuvas provocaram ainda a destruição total de 1.725 residências e parcial a outras 2.330, além de inundações em 4.170 casas. 

Na capital angolana, Luanda, fortes enxurradas causaram nove mortos por descargas elétricas, afogamentos e desabamento de paredes, a destruição total de 275 residências e parcial de 78, tendo 8.279 casas, 22 escolas e dez postos da polícia ficado inundados.

A época das chuvas em Angola compreende o período entre 15 de agosto e 15 de maio, sendo o mês de abril o que regista o maior volume de precipitação.

Lusa
  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Brasil já tirou o "pé do chão"
    1:59

    Mundo

    Já começaram os desfiles e festas de carnaval, no Rio de Janeiro.Esta sexta feira foi o início oficial das celebrações com centenas de milhar de pessoas nas ruas até de madrugada.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato. 

  • Atores de Hollywood contra Trump
    1:44

    Mundo

    Centenas de pessoas juntaram-se em mais um protesto contra o presidente dos Estados Unidos. A manifestação, em Beverly Hills, juntou várias estrelas de Hollywood.