sicnot

Perfil

Mundo

Chuvas de 2015 já mataram 178 pessoas em Angola

As chuvas do primeiro trimestre deste ano, em Angola, já provocaram 178 mortos e só na última noite deixaram mais de 100 famílias ao relento no Libolo, província do Cuanza Sul. 

© Finbarr O'Reilly / Reuters

Segundo o administrador municipal do Libolo, José Maria Silvestre, as chuvas provocaram a destruição total e parcial de 55 casas naquela localidade, estando os seus ocupantes ao relento.

O responsável, citado hoje pela rádio pública angolana, referiu ainda que alguns dos sinistrados foram acolhidos por familiares e outros continuam a aguardar apoio do governo da província.

Ainda na província do Cuanza Sul, nos arredores da cidade do Sumbe, 88 casas desabaram e uma ponte ficou destruída na sequência das fortes chuvas que caíram sobre aquela região nas últimas 48 horas. 

Segundo o porta-voz do Serviço Nacional de Proteção Civil e Bombeiros, Faustino Sebastião, está a ser realizado um levantamento da situação, para posterior apoio às famílias.

Na província angolana do Uíge, norte de Angola, 119 famílias ficaram desalojadas em dois municípios, na sequência das fortes chuvas que caíram sobre aquela região nas últimas horas, informou hoje o responsável local do serviço de proteção civil e bombeiros.

Igildo Fernando disse que 20 casas ficaram destruídas nos municípios de Ambuíla e de Bembe, estando as famílias abrigadas em casa de familiares e em escolas.

Segundo dados do Serviço Nacional de Proteção Civil e Bombeiros, referentes ao período entre 1 de janeiro a 26 de março, as chuvas já causaram em todo o país a morte de 178 pessoas, o ferimento de 203 outras e o desaparecimento de 18 outras, afetando globalmente 48.274 pessoas.

Nos três primeiros meses do ano, as chuvas provocaram ainda a destruição total de 1.725 residências e parcial a outras 2.330, além de inundações em 4.170 casas. 

Na capital angolana, Luanda, fortes enxurradas causaram nove mortos por descargas elétricas, afogamentos e desabamento de paredes, a destruição total de 275 residências e parcial de 78, tendo 8.279 casas, 22 escolas e dez postos da polícia ficado inundados.

A época das chuvas em Angola compreende o período entre 15 de agosto e 15 de maio, sendo o mês de abril o que regista o maior volume de precipitação.

Lusa
  • Mário Centeno lidera hoje a primeira reunião do Eurogrupo
    1:56
  • Grafitter morre após cair do telhado da estação de Sete Rios
    0:57

    País

    Um grafitter morreu no sábado na estação intermodal de Sete Rios, em Lisboa. O jovem caiu de uma altura de seis metros, enquanto fazia um grafitti. As autoridades terão sido alertadas por um amigo, mas quando o INEM chegou o jovem de 21 anos já estava morto.

  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

  • Pelo menos 22 corpos retirados de hotel atacado em Cabul

    Mundo

    Pelo menos 22 corpos foram removidos do hotel de Cabul, no Afeganistão, atacado neste fim de semana pelos talibãs e alguns serão difíceis de identificar por estarem calcinados, de acordo com um novo relatório do Ministério da Saúde.

  • Casal que mantinha filhos acorrentados queria participar num reality show
    3:15
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.