sicnot

Perfil

Mundo

Prisão perpétua para capitão do ferry sul-coreano naufragado

O capitão do ferry Sewol, cujo naufrágio há um ano causou 304 mortos, foi condenado hoje a prisão perpétua na sessão do julgamento de recurso, em que os magistrados reviram a anterior sentença de 36 anos de prisão.

Lee Joon-seok, capitão do ferry Sewol

Lee Joon-seok, capitão do ferry Sewol

Na sua decisão, o Alto Tribunal de Gwangju declarou Lee Joon-seok culpado de homicídio, por não cumprir deliberadamente as suas responsabilidades como capitão durante o naufrágio.

A sentença destaca que o capitão se mostrou passivo durante os momentos cruciais, já que não deu ordem de evacuação da embarcação quando o devia ter feito, e não efetuou também esforços para resgatar os passageiros. 



Lusa
  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.