sicnot

Perfil

Mundo

Burundi corta acesso às redes sociais através de telemóveis após protestos

As autoridades do Burundi cortaram o acesso às redes sociais a partir de telemóveis quando ocorrem no país violentos protestos contra a pretensão do presidente, Pierre Nkurunziza, de prolongar o seu mandato, constatou a agência noticiosa espanhola EFE. 

© Thomas Mukoya / Reuters

Nas ruas de Bujumbura, a capital, os cidadãos não conseguem aceder hoje a qualquer rede social, após as operadoras de telecomunicações terem restringido o acesso à Internet na sequência de ordens das autoridades do Burundi.

As pessoas que dispõem de uma ligação sem fios em casa podem aceder à Internet sem restrições, segundo a EFE. 

Desde domingo que se registam confrontos entre manifestantes e a polícia, que já causaram cinco mortos, três dos quais por disparos de agentes policiais e dois alegadamente às mãos das milícias jovens do partido no poder o Conselho Nacional para a Defesa da Democracia (CNDD-FDD).

O chefe do Estado Maior e o diretor-geral da Polícia alegam que o número de mortos é de apenas dois, adiantando que 37 agentes ficaram feridos nos protestos e que cerca de 200 manifestantes que transportavam granadas e facas foram detidos.

A onda de protestos iniciou-se com o anúncio de que Nkurunziza se candidatará a um terceiro mandato nas eleições presidenciais de junho.

Os seus opositores consideram um terceiro mandato inconstitucional e sobretudo contrário aos acordos de Arusha, que abriram caminho ao fim da longa guerra civil no Burundi (1993-2006).

Temendo um regresso da violência em larga escala, a comunidade internacional tem alertado nos últimos meses as autoridades do Burundi para tentarem dissuadir o Presidente de se candidatar a um novo mandato. 


  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07

    Mundo

    O Conselho de Segurança das Nações Unidas chegou este sábado a acordo sobre o cessar-fogo na Síria, depois de três dias de intensas negociações para evitar o veto da Rússia. As tréguas vão durar 30 dias e permitir a entrada de ajuda humanitária em Ghouta Oriental, a região mais atingida pela guerra na Síria, nesta altura. Em apenas sete dias, os bombardeamentos do regime fizeram mais de 500 mortos.

  • Portugueses e espanhóis protestam em Salamanca contra mina de urânio
    0:38

    País

    O Bloco de esquerda desafia o Governo português a exigir às autoridades espanholas uma avaliação do impacto ambiental da mina de urânio a 40 quilómetros da fronteira portuguesa. Este caso está gerar contestação entre os ambientalistas. Várias associações portuguesas participaram este sábado numa manifestação em Salamanca. A Quercus diz-se preocupada com o impacto da mina de urânio no território português.

  • PS e PSD querem acordo sobre fundos e descentralização até ao verão
    3:07
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de três armas da PSP, recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avança hoje que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • As gravações que provam que as autoridades conheciam o perfil violento de Nikolas Cruz
    1:35