sicnot

Perfil

Mundo

Burundi corta acesso às redes sociais através de telemóveis após protestos

As autoridades do Burundi cortaram o acesso às redes sociais a partir de telemóveis quando ocorrem no país violentos protestos contra a pretensão do presidente, Pierre Nkurunziza, de prolongar o seu mandato, constatou a agência noticiosa espanhola EFE. 

© Thomas Mukoya / Reuters

Nas ruas de Bujumbura, a capital, os cidadãos não conseguem aceder hoje a qualquer rede social, após as operadoras de telecomunicações terem restringido o acesso à Internet na sequência de ordens das autoridades do Burundi.

As pessoas que dispõem de uma ligação sem fios em casa podem aceder à Internet sem restrições, segundo a EFE. 

Desde domingo que se registam confrontos entre manifestantes e a polícia, que já causaram cinco mortos, três dos quais por disparos de agentes policiais e dois alegadamente às mãos das milícias jovens do partido no poder o Conselho Nacional para a Defesa da Democracia (CNDD-FDD).

O chefe do Estado Maior e o diretor-geral da Polícia alegam que o número de mortos é de apenas dois, adiantando que 37 agentes ficaram feridos nos protestos e que cerca de 200 manifestantes que transportavam granadas e facas foram detidos.

A onda de protestos iniciou-se com o anúncio de que Nkurunziza se candidatará a um terceiro mandato nas eleições presidenciais de junho.

Os seus opositores consideram um terceiro mandato inconstitucional e sobretudo contrário aos acordos de Arusha, que abriram caminho ao fim da longa guerra civil no Burundi (1993-2006).

Temendo um regresso da violência em larga escala, a comunidade internacional tem alertado nos últimos meses as autoridades do Burundi para tentarem dissuadir o Presidente de se candidatar a um novo mandato. 


  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28