sicnot

Perfil

Mundo

Tripulação do navio capturado pelo Irão está fora de perigo

O grupo dinamarquês de transportes marítimos A.P. Moeller-Maersk disse hoje que os 24 tripulantes do cargueiro capturado pelo Irão estão fora de perigo e que a detenção terá ocorrido devido a uma disputa pela carga transportada.

© Edgar Su / Reuters

Na terça-feira, a Guarda Revolucionária do Irão intercetou o 'Maersk Tigris', quando este se encontrava a atravessar o Estreito de Ormuz com destino ao Golfo Persa. A bordo estavam 24 tripulantes (na sua maioria europeus de leste e asiáticos) e o navio transportava carga comercial regular, sem relação com armas, garantiu um porta-voz da Rickmers Ship Management.

O navio cargueiro, com bandeira das Ilhas Marshall, era operado pela Rickmers Ship Management, com sede em Singapura e em Hamburgo, e estava a transportar carga pela Maersk Line, a unidade de expedição do grupo dinamarquês que fretou o navio.

"Estamos em contacto permanente com a Rickmers Ship Management e satisfeitos por saber que a tripulação está a salvo e, apesar das circunstâncias, de bom humor", disse o grupo dinamarquês, em comunicado.

O diretor administrativo dos Portos Iranianos Mohanmmad Saidinejad disse à agência noticiosa oficial do Irão, IRNA, que o confisco foi ordenado depois de uma empresa privada ter apresentado uma queixa contra a Maersk por dívidas por saldar.

Por sua vez, a Maersk justificou a captura com uma disputa pela carga do navio, "alegadamente por resolver", afirmando no entanto não ter recebido "qualquer notificação escrita ou similar referente à reivindicação ou à captura do navio".

Por isso, a companhia disse não ser capaz de confirmar se esta "é ou não a verdadeira razão por detrás da apreensão", mas que vai prosseguir com "os esforços para obter mais informações".

A embaixada iraniana em Copenhaga justificou a disputa com uma dívida com 10 anos e que não havia motivos políticos ou questões de segurança por trás do confisco.

Segundo a mesma embaixada, citada pela agência Ritzau, a embaixada dinamarquesa em Teerão foi informada sobre o caso ao longo dos anos e alertada de que seria permitido ao navio prosseguir viagem assim que a Maersk saldasse a dívida.

Um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros dinamarquês disse à agência noticiosa AFP que "está a acompanhar de perto a situação" e que permanece "em diálogo" com a Maersk.

A captura do navio acontece numa altura em que as tensões no Golfo se intensificam, devido ao conflito no Iémen e às conversações de alto nível entre Washington e Teerão sobre o programa nuclear do Irão.



Lusa
  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.