sicnot

Perfil

Mundo

Imprensa britânica saúda vitória anunciada de Cameron

David Cameron vai mesmo continuar como primeiro-ministro do Reino Unido por mais cinco anos, resta saber se com ou sem maioria absoluta. Os Conservadores conquistam o maior número de deputados, 304, seguidos dos trabalhistas com 223, de acordo com os resultados parciais. O Partido Nacional da Escócia é a grande surpresa da noite tendo conquistado 56 lugares. A imprensa britânica saudou hoje a vitória anunciada de Cameron.

STRINGER/ EPA

"Agora dá-nos voto sobre a UE" é o título do Daily Express, em referência à promessa de David Cameron de organizar, no caso de ser reeleito, um referendo sobre a manutenção ou saída do Reino Unido na União Europeia até 2017. 


"Cameron vai ficar no poder, segundo a sondagem à saída das urnas", escreve o diário conservador The Daily Telegraph, sob uma foto do primeiro-ministro sorridente.


A mesma abordagem foi seguida pelo Daily Mail e pelo Times, com o primeiro a congratular-se com "o regresso ao nº10 [de Downing Street]" de Cameron, e o segundo a apresentar o título: "Os conservadores  lideram", com uma foto do primeiro-ministro e mulher, à saída da assembleia de voto. 


O The Sun, jornal mais lido no Reino Unido, escolheu uma foto do casal Cameron à saída das urnas, sob o título "Swinging the Blues", num jogo de palavras sobre a cor azul dos conservadores e ao feito de os conservadores terem finalmente conduzido a dança desta eleição. 


O tabloide não poupou esforços no apoio a Cameron com outro trocadilho no título "Keep Cam (abreviatura de Cameron) and carry on", em referência à máxima britânica "Keep Calm and Carry On" (mantém a calma e continua).


Originalmente impressa num cartaz do governo britânico em 1939, esta mensagem foi redescoberta em 2000 e tem sido reproduzida em vários objetos, desde t-shirts a canecas e imãs. 


A primeira página do Daily Mirror, jornal conotado com a esquerda, optou pelo título: "Eleições gerais 2015. Condenados novamente... Mais cinco anos de maldição". 


O The Guardian, igualmente de esquerda, escreveu: "Sondagem calamitosa para os Trabalhistas". A mesma linha foi seguida pelo The Independent que evocou também o "caos" informático que poderá ter impedido "centenas" de eleitores de votarem. 


O Financial Times, por sua vez, focou-se na forte volatilidade do mercado da dívida na zona euro.


Com Lusa
  • Projeções dão vitória ao Partido Conservador mas sem maioria
    6:10

    Mundo

    As projeções das eleições no Reino Unido que são conhecidas são diferentes daquilo que as sondagens previam. Os Conservadores conseguem 316 mandatos contra 239 do Partido Trabalhista, já o Partido Nacional Escocês conta com 58 mandatos, os Liberais com 10 e UKIP com 2. Sendo assim, o Partido Conservador vence, mas sem maioria absoluta.

  • As propostas dos quatro principais partidos do Reino Unido
    1:56

    Mundo

    Os britânicos escolhem uma série de políticas e prioridades para o futuro do Reino Unido, nas eleições. Mas, em que divergem os partidos que têm hipótese de vir a formar Governo? Estas são as principais propostas dos quatro principais partidos destas eleições.

  • Morreu o companheiro de Nelson Mandela

    Mundo

    Ahmed Kathrada, activista e ícone sul-africano que lutou ao lado de Mandela contra o "apartheid" morreu hoje aos 87 anos, informou a fundação de caridade Kathrada.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23
  • Vidas Suspensas: Delfim 353
    29:30
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.