sicnot

Perfil

Mundo

Alemanha disponibiliza 100 milhões de euros para setor energético na América Central

A Alemanha vai disponibilizar uma nova linha de financiamento de 100 milhões de euros para projetos de energia geotérmica na América Central, informou, este sábado, o portal El 19.

Arquivo

Arquivo

Reuters

O Presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, manteve um encontro com o diretor da Divisão Regional da América Central, México e Caribe do Ministério da Cooperação e Económica e Desenvolvimento da Alemanha, Klaus Krämer.

Após o encontro, o embaixador alemão em Manágua, Karl-Otto König, explicou que há um acordo quadro com o Sistema de Integração Centro-americana (SICA), mas implementado com cada Estado, e que a cooperação ascende a 250 milhões de dólares (223 milhões de euros), de acordo com o diário digital governamental.

"Por exemplo, decidimos abrir uma nova linha de financiamento de mais de 100 milhões de euros para utilizar a energia geotérmica. É um programa em que a Nicarágua também pode participar", disse o diplomata, citado pelo portal El 19, assinalando que ser preciso acrescentar projetos em matéria de segurança.

König, que esteve presente na reunião, disse ter havido "um intercâmbio interessante e sincero" e que existem "boas perspetivas" no plano do reforço da cooperação.

O Banco Alemão de Desenvolvimento (KfW) concedeu, na passada quinta-feira, à Nicarágua um empréstimo de 6 milhões de euros para financiar um projeto de tratamento de águas residuais na capital.

Lusa

  • Marcelo quer fazer mais e melhor
    0:48

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa quer fazer mais e melhor no segundo ano enquanto Presidente da República. Marcelo fez esta terça-feira um balanço do primeiro ano em Belém, dizendo que é preciso não perder o que se conseguiu em termos de recuperação económica mas que é preciso ser mais ambicioso.

  • "Andem lá com isso!"
    0:42
  • "A Miss Helsínquia é a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza"

    Mundo

    Sephora Lindsay Ikabala venceu o concurso Miss Helsínquia 2017 e, desde então, tem vindo a ser insultada e criticada nas redes sociais. A nigeriana de 19 anos vive na cidade desde criança. "A Miss Helsínquia é literalmente a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza", é apenas um dos muitos comentários que circula nas redes sociais.