sicnot

Perfil

Mundo

Airbus prossegue testes do avião A400M apesar de acidente em Sevilha

A Airbus vai prosseguir os voos de teste do seu avião de transporte militar A400M apesar do acidente que matou quatro funcionários da empresa em Espanha, homenageados esta segunda-feira com um minuto de silêncio em todas as suas oficinas.

Todos os aviões são testados em voo depois de saírem da linha de montagem e antes de serem entregues ao cliente. Foi num desses voos que um A400M, que deveria ser entregue à Turquia em julho, se despenhou no sábado num descampado a norte do aeroporto de Sevilha, no sul de Espanha, onde são montados os aviões.

Todos os aviões são testados em voo depois de saírem da linha de montagem e antes de serem entregues ao cliente. Foi num desses voos que um A400M, que deveria ser entregue à Turquia em julho, se despenhou no sábado num descampado a norte do aeroporto de Sevilha, no sul de Espanha, onde são montados os aviões.

Miguel Angel Morenatti / AP

O consórcio europeu de aeronáutica decidiu continuar a produção do aparelho, bem como os voos de ensaio, declarou um porta-voz. O próximo teste de voo será na terça-feira, com partida de Toulouse (França), precisou. 

Todos os aviões são testados em voo depois de saírem da linha de montagem e antes de serem entregues ao cliente. Foi num desses voos que um A400M, que deveria ser entregue à Turquia em julho, se despenhou no sábado num descampado a norte do aeroporto de Sevilha, no sul de Espanha, onde são montados os aviões.

O A400M embateu numa linha de alta tensão ao tentar uma aterragem improvisada. 

Três civis ajudaram dois sobreviventes a sair do aparelho antes de o fogo o consumir por completo. O mecânico e um engenheiro foram hospitalizados em estado grave, mas dois pilotos e dois engenheiros morreram no acidente, cuja origem é ainda desconhecida. 

Entretanto, Berlim fez saber que aguardará que as autoridades espanholas esclareçam as causas do acidente do A400M para daí retirar consequências, ainda que rejeite a hipótese de se afastar totalmente do projeto deste avião europeu de transporte militar.

O porta-voz do ministério de Defesa alemão, Uwe Roth, explicou hoje em conferência de imprensa que, como medida preventiva, o único A400M que o exército alemão tem -- que ainda está em fase de testes -- permanecerá em terra até que seja identificada a causa do acidente. 

A providência cautelar só será levantada quando forem "apresentadas provas credíveis sobre as causas do acidente", acrescentou o porta-voz, que disse que as autoridades espanholas estão encarregadas da investigação, com a ajuda do fabricante, o consórcio europeu Airbus.

A esse respeito, durante uma visita de trabalho a Israel, a ministra de Defesa alemã, Ursula von der Leyen, ofereceu ajuda às autoridades espanholas para a investigação do acidente.

"Oferecemos de bom grado os nossos conhecimentos para ajudar a solucionar os problemas. É no nosso próprio interesse", afirmou a ministra.

O porta-voz da Defesa descartou que Berlim tenha um plano B para a eventualidade de se agudizarem os problemas de fabrico do A400M, que envolvem atrasos e custos adicionais.

Roth salientou que o projeto tem "um grande significado" para a Alemanha e que não estão, neste momento, a ser consideradas mudanças na estratégia de substituir completamente a sua frota de aviões de transporte militar por estes aparelhos da Airbus.

Este ano, o fabricante tenciona entregar cinco aparelhos A400M à Alemanha que, por sua vez, contava começar a substituir a sua frota de 53 Transall, de fabrico alemão, em utilização desde os anos 1970.

A Alemanha comprometeu-se a comprar 53 A400M, cuja montagem se realiza em Sevilha, e em dezembro recebeu o primeiro, com o qual apenas fez, desde então, 57 horas de voo.

Roth recordou que a Alemanha deparou-se com "grandes insuficiências" no único A400M recebido e que está a trabalhar com a Airbus para ajudar a saná-las.
Lusa
  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.