sicnot

Perfil

Mundo

Nepal recebeu apenas 14% dos 370 milhões necessários para ajuda humanitária

O Nepal recebeu apenas 14% dos 370 milhões de euros necessários para ajuda humanitária, após lançar apelo internacional na sequência de sismos ocorridos no país, disse hoje a ONU, alertando para "implicações graves" da falta de apoio. 

© Ahmad Masood / Reuters

"Se não agirmos rapidamente, as implicações serão graves" para as vítimas de dois recentes abalos sísmicos no país, avisou em comunicado o representante do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) no Nepal, Jamie McGoldrick.

De acordo com aquela agência da ONU, "a janela de oportunidade para prestar socorro vital para as pessoas afetadas pelos recentes sismos no Nepal está a fechar-se rapidamente", uma vez que "as necessidades urgentes de financiamento continuam a não ser atendidas".

Jamie McGoldrick alertou para o risco de "mais mortes, miséria e de arrepiante perda de dignidade" se não houver uma resposta da comunidade internacional.

 Há menos de um mês, o Nepal foi sacudido por dois abalos, que causaram mais de oito mil mortos e a destruição de cerca de 300 mil casas.

Na terça-feira, o Nepal foi atingido por um segundo sismo, de magnitude 7,3, gerando deslizamentos de terras e causando a destruição de vários edifícios, já enfraquecidos com o sismo de 25 de abril.

O terramoto de há três semanas, de magnitude 7,8 na escala de Richter, foi sentido na Índia, até Nova Deli, e causou o colapso de edifícios no Tibete, na vizinha China. 

O representante do OCHA no Nepal apelou hoje para a necessidade de se acudir "especialmente as zonas rurais e áreas remotas", onde "centenas de milhares de pessoas continuam desabrigadas, três semanas após o primeiro terramoto". 

Para Jamie McGoldrick "a prioridade mais urgente" é proporcionar abrigo para pessoas dada a aproximação da estação chuvosa, que pode "isolar as pessoas em regiões remotas e vulneráveis".

"As comunidades locais foram e continuam a ser os primeiros respondentes ao apelo. Os comités de desenvolvimento da aldeia, o sector privado, os voluntários realmente entenderam a sua responsabilidade", considerou o responsável pela agência humanitária da ONU, que lamentou a falta de resposta da comunidade internacional.

"Nesta fase, a nossa capacidade de resposta às necessidades urgentes dos Nepaleses depende unicamente do apoio financeiro que será fornecido", afirmou Jamie McGoldrick, citado na nota da OCHA publicada na sua página da Internet. 








Lusa
  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.

  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.