sicnot

Perfil

Mundo

Milhares protestaram contra transgénicos da empresa Monsanto

galeria de fotos

Vários milhares de pessoas manifestaram-se neste sábado por todo o mundo contra a empresa norte-americana de biotecnologia, a Monsanto, e especialmente contra os Organismos Geneticamente Modificados (OGM), pesticidas e outros produtos químicos. 

© John Vizcaino / Reuters

© John Vizcaino / Reuters

© John Vizcaino / Reuters

© John Vizcaino / Reuters

© STRINGER Chile / Reuters

© STRINGER Chile / Reuters

© Ricardo Moraes / Reuters

O apelo para a manifestação global foi lançado em mais de 400 cidades e quarenta países, incluindo Portugal. Lançada em 2013, a Marcha Global contra a Monsanto reclama-se "de uma dinâmica de cidadania, mobilizada por grupos locais."

Na Suíça, cerca de 2.500 pessoas manifestaram-se em Basileia onde a Monsanto tem a sua sede para a Europa, África e Médio Oriente.

Em Paris, entre 2.000 e 3.000 pessoas responderam ao apelo dos cidadãos e de muitas associações ambientalistas como a Greenpeace. Foram gritadas frases como "Vade retro Monsanto", "A Monsanto não, minha saúde sim" ou "OGM? Nós não queremos isso!".

O herbicida 'Round-Up', principal produto da Monsanto, recentemente classificado como "provavelmente cancerígeno" pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi particularmente visado pelos manifestantes.

Em Estrasburgo, entre 800 e mil manifestantes reuniram-se em frente ao Parlamento Europeu, antes de se deitarem no chão por um minuto de silêncio.   Em África, metade de mil pessoas marcharam em Ouagadougou contra a empresa gigante norte-americana, que introduziu o algodão transgénico no Burkina Faso em 2003. É o único país da África Ocidental que experimentou as culturas de OGM em algodão.

Os manifestantes pediram às autoridades de Burkina Faso "uma moratória de pelo menos 10 anos", a fim de "prosseguir uma investigação independente" sobre os OGM.


Lusa
  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07