sicnot

Perfil

Mundo

Gravidez altera o cérebro feminino

A gravidez altera o cérebro da mulher devido ao aumento de hormonas, que vão influenciar o sistema nervoso central, concluem vários estudos. As conclusões vêm também ajudar a esclarecer se a terapia hormonal de substituição na menopausa contribui para o desenvolvimento da doença de Alzheimer nas mulheres.

© Regis Duvignau / Reuters

A cientista canadiana Liisa Galea, da Universidade de British Columbia, Vancouver, investigou duas hormonas usadas na terapia de substituição na menopausa e percebeu que provocam efeitos complexos dependendo da idade da mulher e se deu à luz ou não.

Embora o estudo tenha sido conduzido em ratinho de laboratório, os cientistas dizem que as conclusões são aplicáveis aos seres humanos porque são exactamente as mesmas hormonas e neurónios que estão envolvidos no processo.

O aumento súbito da hormona estrogénio durante a gravidez, em que os níveis podem chegar a centenas de vezes mais que os normais, alteram a neuroplasticidade (a capacidade de o sistema nervoso mudar ou se adaptar ao longo do desenvolvimento), a regeneração dos neurónios do hipocampo, que é responsável pela memória e noção espacial.

"A nossa investigação mostra que a maternidade altera a cognição e a neuroplasticidade numa terapia hormonal de substituição, de forma permanente", afirma Liisa Galea, em declarações ao jornal britânico The Independent.

"As hormonas têm um profundo impacto no nosso cérebro. A gravidez e a maternidade são eventos de vida que nos alteram psicologica e fisicamente", garante. "Os nossos resultados vêm chamar a atenção para o facto de que devem ser tidos em conta quando se tratam problemas psicológicos nas mulheres", recomenda a cientista.