sicnot

Perfil

Mundo

Gravidez altera o cérebro feminino

A gravidez altera o cérebro da mulher devido ao aumento de hormonas, que vão influenciar o sistema nervoso central, concluem vários estudos. As conclusões vêm também ajudar a esclarecer se a terapia hormonal de substituição na menopausa contribui para o desenvolvimento da doença de Alzheimer nas mulheres.

© Regis Duvignau / Reuters

A cientista canadiana Liisa Galea, da Universidade de British Columbia, Vancouver, investigou duas hormonas usadas na terapia de substituição na menopausa e percebeu que provocam efeitos complexos dependendo da idade da mulher e se deu à luz ou não.

Embora o estudo tenha sido conduzido em ratinho de laboratório, os cientistas dizem que as conclusões são aplicáveis aos seres humanos porque são exactamente as mesmas hormonas e neurónios que estão envolvidos no processo.

O aumento súbito da hormona estrogénio durante a gravidez, em que os níveis podem chegar a centenas de vezes mais que os normais, alteram a neuroplasticidade (a capacidade de o sistema nervoso mudar ou se adaptar ao longo do desenvolvimento), a regeneração dos neurónios do hipocampo, que é responsável pela memória e noção espacial.

"A nossa investigação mostra que a maternidade altera a cognição e a neuroplasticidade numa terapia hormonal de substituição, de forma permanente", afirma Liisa Galea, em declarações ao jornal britânico The Independent.

"As hormonas têm um profundo impacto no nosso cérebro. A gravidez e a maternidade são eventos de vida que nos alteram psicologica e fisicamente", garante. "Os nossos resultados vêm chamar a atenção para o facto de que devem ser tidos em conta quando se tratam problemas psicológicos nas mulheres", recomenda a cientista.

  • Governo prepara projeto para suavizar transição para a reforma
    1:38

    Economia

    O Governo quer suavizar a transição do trabalho para a reforma. A ideia é que essa passagem seja feita gradualmente e não de um dia para o outro, o que pode ser mais traumático. O projeto prevê a possilidade de o trabalhador cumprir meio horário e acumular com meia pensão.

  • Portugal pode perder parte dos fundos comunitários
    2:21

    Economia

    Portugal arrisca-se a perder parte dos fundos comunitários atribuídos ao país, se não acelerar a execução dos programas que têm comparticipação de Bruxelas. A notícia é avançada pelo jornal Público, que revela que o país ainda está longe de cumprir as metas mínimas. O Executivo desdramatiza e acredita que serão cumpridas até ao final do ano. O Governo diz mesmo que Portugal deverá ser um dos países com melhores taxas de execução.

  • Proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causas do Alzheimer
    2:33

    País

    Uma proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causadoras do Alzheimer. A revelação, feita pelo prémio Nobel da Medicina de 2014, será discutida no terceiro dia da cimeira mundial sobre doenças neurodegenerativas na Fundação Champalimaud, em Lisboa. A partir de hoje, serão apresentadas novidade nas investigações científicas sobre a epidemia silenciosa, que atinge 50 milhões de pessoas em todo o mundo.

  • Primeiro discurso de Costa na ONU alinhado com o de Guterres

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, proferirá hoje o seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, devendo estar muito alinhado com a agenda política apresentada na terça-feira pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, valorizando o multilateralismo.

  • Habitantes da favela da Rocinha temem novo episódio violento
    2:54

    Mundo

    Localizada no Rio de Janeiro, a Rocinha, maior favela do Brasil, foi palco de um tiroteio entre traficantes, no último fim de semana. Agora, pelo terceiro dia consecutivo, a polícia do Rio de Janeiro está a fazer um cerco em algumas favelas cariocas à procura de traficantes. A comunidade está assustada e receia que episódios violentos como este se repitam.