sicnot

Perfil

Mundo

Obama acusa Rússia de adotar "postura cada vez mais agressiva"

O Presidente norte-americano, Barack Obama, acusou hoje a Rússia de estar a endurecer a sua postura no terreno, ao reunir-se com o secretário-geral da NATO para debater a crise em curso na Ucrânia.

© Jonathan Ernst / Reuters

"Tivemos a oportunidade de debater a situação na Ucrânia e a postura cada vez mais agressiva que a Rússia está a adotar", declarou Obama, após uma reunião na Sala Oval com Jens Stoltenberg.

Ambos os responsáveis sublinharam a necessidade de as partes no conflito respeitarem o amplamente ignorado cessar-fogo acordado em fevereiro, que Stoltenberg considerou poder ainda ser um "caminho para a paz".

O acordo, entre potências europeias, Rússia e Ucrânia, destinava-se a pôr fim a 13 meses de guerra que fizeram quase 6.300 mortos e deixaram desalojadas muito mais de um milhão de pessoas.

Nos últimos dias, tem havido combates particularmente intensos entre as forças ucranianas e separatistas pró-russos perto da estratégica cidade portuária de Mariupol.

Ao mesmo tempo, tem-se registado uma subida de tensão, à medida que aviões e submarinos russos fazem incursões provocadoras em águas e no espaço aéreo europeus.

Obama classificou a atual conjuntura como "uma época desafiadora e importante para a NATO".






Lusa
  • Português de 15 anos morre em estância de esqui em Espanha

    País

    Um jovem português morreu esta quarta-feira numa estância de esqui, em Espanha. O rapaz de 15 anos queixou-se de dores de cabeça e foi transportado para a Unidade de Cuidados de Saúde da Estância de Esqui, onde acabou por morrer.

    Em desenvolvimento

  • Europa num clima de tensão parecido ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra Mundial
    2:18

    Mundo

    O populismo e a demonização do outro estão a conduzir a Europa a um clima de tensão semelhante ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra mundial. A conclusão é do relatório anual da Amnistia internacional, que denuncia ainda que 2016 foi um ano de "implacável miséria e medo" para milhões de pessoas. Embalados pelo discurso do medo, vários governos recuaram nos direitos humanos.