sicnot

Perfil

Mundo

Glaciares do Evereste em risco de desaparecer

Os glaciares da região do Evereste podem diminuir 70 por cento ou mesmo desaparecer até ao final do século devido ao aquecimento global provocado pelas alterações climáticas, alertaram hoje os autores de um estudo científico internacional.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Gopal Chitrakar / Reuters

Investigadores do Nepal, Holanda e França estudaram os padrões do clima na região da montanha mais alta do mundo e criaram um modelo das condições do Evereste para determinar o impacto futuro do aumento das temperaturas nos glaciares.


"O pior dos cenários mostra uma perda de 99% de massa de gelo glaciar, mas mesmo que comecemos a reduzir ligeiramente as emissões, podemos ver uma redução de 70%", explicou Joseph Shea, que coordenou o estudo, à agência France Presse.


O investigador é hidrologista no Centro Internacional para o Desenvolvimento Integrado da Montanha, com sede em Katmandu, considerado uma autoridade mundial no estudo dos glaciares nos Himalaias.


Shea integrou uma equipa que em 2014 publicou um estudo que, recorrendo a imagens satélite, mostrava que os glaciares do Nepal diminuíram um quarto entre 1977 e 2010.


Mas, neste novo estudo, publicado hoje na revista científica internacional The Cryosphere, o cenário do impacto das mudanças climáticas em 2100 agrava-se consideravelmente.


"Depois de testarmos o nosso modelo e acertarmos os padrões climáticos, aumentámos as temperaturas consoante diferentes cenários de emissões para obter cenários futuros", disse.


Segundo Shea, o degelo dos glaciares pode formar lagos profundos que podem vir a inundar comunidades das montanhas.


Por outro lado, prosseguiu, o degelo também pode afetar os recursos hídricos na região do Evereste, com volumes menores de neve derretida a chegar ao rio Dudh Kosi, que abastece as populações das montanhas.


A redução desses volumes, sobretudo na fase pré-monções, "vai provavelmente ter um impacto em futuros projetos hidroelétricos, porque não haverá chuva suficiente para as necessidades".



Lusa
  • Momento da avalancha no Evereste registado por videoamadores
    0:44

    Sismo no Nepal

    Na avalancha no Evereste, provocada pelo sismo que ocorreu a 81 quilómetros a noroeste de Katmandu, já morreram pelo menos 18 pessoas. O momento da avalancha foi registado por vários videoamadores. Nesta gravação, os alpinistas comentam que o chão estava a tremer. Em poucos segundos vêem uma nuvem de neve a descer as montanhas. Os alpinistas que estavam naquele campo tentaram de imediato refugiar-se dentro das tendas para se protegerem.Percebe-se o pânico que viveram e a destruição que ficou depois de terminar a avalancha. No local continuam as buscas para encontrar sobreviventes.

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.

  • O momento em que Trump quis ser um camionista

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump reuniu-se esta quinta-feira com representantes da indústria de camionagem. Não é apenas do encontro que lhe falamos, mas principalmente da invulgar receção feita por Trump, que entrou para um camião, fingiu que o conduzia e buzinou... em pleno jardim da Casa Branca.

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.