sicnot

Perfil

Mundo

EUA retiram Cuba da lista de Estados patrocinadores do terrorismo

Os Estados Unidos retiraram Cuba da lista de Estados patrocinadores do terrorismo, no âmbito do restabelecimento histórico das relações diplomáticas entre os dois países, suspensas desde 1961, divulgou esta sexta-feira o Departamento de Estado norte-americano.  

A 17 de dezembro de 2014, os líderes norte-americano e cubano, Barack Obama e Raul Castro, respetivamente, anunciaram em simultâneo uma aproximação histórica entre Washington e Havana, que não têm relações diplomáticas oficiais há mais de meio século. Após esse anúncio, as duas partes já realizaram várias rondas negociais. (Arquivo)

A 17 de dezembro de 2014, os líderes norte-americano e cubano, Barack Obama e Raul Castro, respetivamente, anunciaram em simultâneo uma aproximação histórica entre Washington e Havana, que não têm relações diplomáticas oficiais há mais de meio século. Após esse anúncio, as duas partes já realizaram várias rondas negociais. (Arquivo)

© Jonathan Ernst / Reuters

Esta decisão era esperada depois de o Presidente norte-americano, Barack Obama, ter apresentado, em meados de abril, uma proposta neste sentido.  

Obama (democrata) notificou o Congresso norte-americano, atualmente controlado pelos republicanos, e deu um prazo de 45 dias para os legisladores analisarem a medida e se pronunciarem. Esse prazo terminou hoje. 

Havana sempre reclamou ser retirada desta 'lista negra' do Departamento de Estado norte-americano e colocou esta medida como uma pré-condição para o restabelecimento das relações diplomáticas com os Estados Unidos.  

Cuba figurava nesta lista desde 1982, ao lado de países como o Irão, a Síria ou o Sudão.

"O secretário de Estado [John Kerry] tomou a decisão final de revogar a designação de Cuba como um Estado patrocinador do terrorismo, de forma efetiva a partir de hoje, 29 de maio de 2015", anunciou o Departamento de Estado norte-americano, num comunicado, citando o porta-voz Jeffrey Rathke.

Em 1982, a administração do então Presidente Ronald Reagan (republicano) colocou Havana nesta lista por causa do apoio cubano aos separatistas bascos da ETA e aos rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

"A revogação da designação de Cuba como um Estado patrocinador do terrorismo reflete a nossa avaliação de que Cuba cumpre os critérios legais para a revogação", frisou a diplomacia norte-americana, mesmo que "os Estados Unidos tenham importantes divergências e preocupações sobre um vasto leque de ações e de políticas de Cuba".

A 17 de dezembro de 2014, os líderes norte-americano e cubano, Barack Obama e Raul Castro, respetivamente, anunciaram em simultâneo uma aproximação histórica entre Washington e Havana, que não têm relações diplomáticas oficiais há mais de meio século. Após esse anúncio, as duas partes já realizaram várias rondas negociais.

Após o anúncio de hoje, fica por resolver outra questão fulcral para o relacionamento dos dois países: o embargo norte-americano, que está em vigor desde 1962.

Decretado em fevereiro de 1962, e severamente reforçado pela lei Helms-Burton de 1996, o embargo norte-americano total às transações económicas e financeiras com Cuba é frequentemente denunciado pelo regime de Havana como um obstáculo ao desenvolvimento da ilha caribenha, com prejuízos estimados superiores a 100 mil milhões de dólares (cerca de 89 mil milhões de euros).

Obama avançou com um conjunto de medidas de flexibilização do embargo, dentro dos limites das suas competências, mas estas foram consideradas como insuficientes por Havana.
Lusa
  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59