sicnot

Perfil

Mundo

Calor na Índia faz mais de 2.200 mortos

A vaga de calor que tem atingido nas últimas semanas a Índia provocou mais de 2.200 mortos, anunciaram hoje as autoridades, quando se regista uma ligeira descida nas temperaturas com chuva dispersa.

DIVYAKANT SOLANKI

Hoje, os estados de Andhra Pradesh e de Telangana, no sul, e a capital, Nova Deli, os mais afetados pelo calor, registaram trovoadas.

Mas, o alívio no calor poderá ser breve dado que são esperadas temperaturas a rondar os 45ºC nos próximos dias em várias regiões do país, segundo as mesmas fontes.

"Só no estado de Andhra Pradesh morreram 1.636 pessoas", disse à AFP um alto responsável, P. Tulsi Rani.

No estado vizinho de Telangana, 541 pessoas morreram na sequência da vaga de calor, de acordo com um outro responsável.

Esta vaga de calor já é a segunda mais grave do país, de acordo com números da EM-DAT, uma base internacional de dados sobre catástrofes naturais, depois de em 1998 terem morrido 2.451 pessoas devido às temperaturas muito elevadas.


Lusa
  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Temperaturas negativas em várias zonas do país nos próximos dias
    1:57

    País

    O frio vai começar a fazer-se sentir nos próximos dias com as temperaturas a descerem para valores negativos em várias zonas do país. Em Lisboa, cinco estações de metro vão estar abertas durante a noite para albergar os sem-abrigo que também vão receber agasalhos e refeições quentes.

  • Medalha idêntica à de Anne Frank encontrada em campo nazi

    Mundo

    Um grupo de investigadores encontrou uma medalha praticamente igual à de Anne Frank, nas escavações ao campo nazi de extermínio Sobibor, na Polónia. Os especialistas do Memorial do Holocausto Yad Vashem em Israel acreditam que a medalha pertencia a Karoline Cohn, que pode ter conhecido Anne Frank.