sicnot

Perfil

Mundo

Incêndio de camião-cisterna após despiste faz 69 mortos na Nigéria

Sessenta e nove pessoas morreram queimadas em Onitsha, no sudeste da Nigéria, quando um camião-cisterna que transportava combustível se despistou e embateu contra uma estação de autocarros incendiando-se, informou esta segunda-feira a Cruz Vermelha. 

Um responsável da Cruz Vermelha em Abuja disse que o pessoal da organização, em Onitsha, confirmou, até agora, 69 mortos, adiantando que várias outras pessoas estão a ser tratadas a queimaduras graves. (Arquivo)

Um responsável da Cruz Vermelha em Abuja disse que o pessoal da organização, em Onitsha, confirmou, até agora, 69 mortos, adiantando que várias outras pessoas estão a ser tratadas a queimaduras graves. (Arquivo)

© Stringer Shanghai / Reuters

O porta-voz da polícia local, Uchenna Ezeh, tinha declarado antes à agência France Presse que pelo menos 37 pessoas tinham morrido e sete outras tinham ficado feridas no domingo quando "o camião se descontrolou e embateu contra uma estação rodoviária próxima de uma rotunda" em Onitsha, capital comercial do Estado nigeriano de Anambra. 

Um responsável da Cruz Vermelha em Abuja disse que o pessoal da organização, em Onitsha, confirmou, até agora, 69 mortos, adiantando que várias outras pessoas estão a ser tratadas a queimaduras graves.

Até ao momento, desconhece-se por que razão o motorista perdeu o controlo do veículo, mas o porta-voz da polícia local garantiu não haver indícios de crime. 

Cerca de uma dúzia de autocarros e várias motorizadas ficaram destruídas no incêndio, adiantou Uchenna Ezeh.
Lusa
  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.