sicnot

Perfil

Mundo

Dijsselbloem "confiante" na reeleição como presidente do Eurogrupo

O ministro das Finanças da Holanda, Jeroen Dijsselbloem, apresentou esta sexta-feira a sua candidatura a um segundo mandato como presidente do Eurogrupo, afirmando beneficiar de "amplo apoio" no seio da zona euro.

Dijsselbloem, 49 anos, afirmou-se "confiante" quanto a uma nova nomeação e indicou que apresentou hoje oficialmente a sua candidatura, no primeiro dia em que os candidatos podem inscrever-se.

Dijsselbloem, 49 anos, afirmou-se "confiante" quanto a uma nova nomeação e indicou que apresentou hoje oficialmente a sua candidatura, no primeiro dia em que os candidatos podem inscrever-se.

© Ints Kalnins / Reuters

"Nos últimos meses, falei com muitas pessoas na Europa e creio que há amplo apoio", declarou Dijsselbloem, citado no 'site' da televisão pública holandesa.

Dijsselbloem, 49 anos, afirmou-se "confiante" quanto a uma nova nomeação e indicou que apresentou hoje oficialmente a sua candidatura, no primeiro dia em que os candidatos podem inscrever-se.

O ministro holandês sucedeu em janeiro de 2013 ao luxemburguês Jean-Claude Juncker à frente do Eurogrupo, que reúne os ministros das Finanças da zona euro. O seu primeiro mandato acaba em julho.

O ministro das Finanças espanhol, Luis de Guindos, também poderá ser candidato.

"A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou que apoiaria um candidato espanhol, se houver um, mas são os ministros que decidem por maioria", disse Dijsselbloem.

"Não vou dizer quem são os países que me prometeram apoio, cabe a eles manifestarem publicamente esse apoio ou não", referiu, acrescentando que o voto é secreto.

Como presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem tem estado envolvido nas negociações sobre a Grécia, um processo que se arrasta há meses.
Lusa
  • "Oposição angolana deve atualizar-se"
    0:53

    Mundo

    Alexandra Simeão, antiga vice-ministra da Educação em Angola, mostra-se surpreendida com a rapidez das mudanças introduzidas por João Lourenço no país. A analista política disse ainda à SIC que estas mudanças são uma oportunidade para a oposição angolana se profissionalizar e atualizar.

  • "Estamos vivos"
    11:41
  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27