sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos sete soldados ucranianos mortos em explosão de mina no leste separatista

Pelo menos soldados ucranianos foram hoje mortos quando o veículo em que seguiam fez despoletar uma mina anticarro no leste separatista pró-russo, anunciou um porta-voz militar presente no setor. 

© Alexander Ermochenko / Reuter

"O veículo com os nossos militares saltou sobre uma mina anticarro inimiga em Krasnogorivka [20 quilómetros a oeste de Donetsk, um bastião rebelde]. Segundo as primeiras informações foram mortos sete militares", precisou o porta-voz Evguen Silkin, acrescentando que as estradas nesse setor estão minadas pelos rebeldes. 

Os responsáveis das forças separatistas escusaram-se no imediato a emitir qualquer comentário sobre o incidente, que ocorreu perto da localidade de Marinka, onde violentos combates na semana passada provocaram mais de 20 mortos, na maioria rebeldes. 

As explosões de minas nas estradas têm sido frequentes no decurso dos 14 meses de conflito no leste da Ucrânia. Diversos veículos civis também têm sido atingidos em diversas ocasiões por disparos de artilharia. 

Em janeiro, mais de 12 civis foram mortos quando o seu autocarro foi atingido por um míssil, que Kiev diz ter sido disparado pelos rebeldes. 

As autoridades ucranianas afirmaram hoje que se confrontam no leste separatista com uma força de 42.500 homens apoiados por cerca de 550 carros de combate, o equivalente a um exército de um "país europeu médio".

Forças governamentais e rebeldes voltaram ainda envolver-se em novos combates nas regiões de Donetsk e Lugansk, na mais grave ameaça ao frágil cessar-fogo em vigor deste fevereiro. 

Segundo um comunicado do comando militar ucraniano, os separatistas voltaram a atacar hoje Marinka, definida como uma localidade estratégica, a apenas 20 quilómetros de Donetsk, o principal bastião separatista. 

As Nações Unidas indicam que mais de 6.400 pessoas já foram mortas no conflito, e pelo menos um milhão forçadas a abandonar as suas casas.  






Lusa
  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.