sicnot

Perfil

Mundo

Japão vai desmantelar central de Fukushima dentro de 30 a 40 anos

O governo japonês aprovou hoje a revisão do plano para as operações de desmantelamento da central nuclear de Fukushima, cuja duração total se mantêm no prazo de entre 30 e 40 anos. 

© Kim Kyung Hoon / Reuters

Apesar de a retirada do combustível -- uma operação chave no processo -- se atrasar entre dois e três anos, o executivo nipónico e a proprietária da fábrica, a Tokyo Electric Power (TEPCO), estimaram que a alteração não afeta o conjunto de trabalhos pendentes na central.

Além da retirada do combustível fundido de dentro dos reatores, a central, atingida pelo terramoto e tsunami de 2011, ainda enfrenta o problema da acumulação diária de centenas de toneladas de água radioativa nas instalações.

Estas inundações são produto da água que através dos canais naturais entra nos porões dos reatores e, uma vez aí, se mistura com líquido refrigerante contaminado que esteve em contacto com as unidades danificadas. 

Atualmente o Governo e a TEPCO estão a testar um sistema experimental -- um muro de gero subterrâneo -- para desviar o fluxo das águas subterrâneas e evitar que essa acumulação diária de água possa ir parar ao oceano Pacífico. 

O tsunami e sismo de magnitude 9 na escala de Richter de 11 de março de 2011 provocou em Fukushima o pior acidente nuclear desde o de Chernobil, na Ucrânia, em 1986.

As emissões e fugas resultantes mantêm deslocadas milhares de pessoas que viviam junto à central nuclear e afetaram gravemente a agricultura, pecuária e pesca local. 


Lusa
  • 10 Minutos com Eurico Reis
    11:20

    10 Minutos

    Há quatro meses que Portugal é um dos poucos países europeus onde é possível recorrer à gestação de substituição. E há já um casal que teve luz verde para começar os tratamentos. Para um balanço, foi nosso convidado Eurico Reis, juiz desembargador e presidente do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida, a entidade que autoriza os processos de gestação de substituição.

    Entrevista completa

  • Parlamento discute utilização de animais no circo
    2:01
  • Seis meses depois da tragédia de Pedrógão Grande
    5:55

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assinalou-se este domingo meio ano desde que o país ficou em choque com o rasto de morte e destruição causado pelos incêndios florestais na região centro. A tragédia de Pedrogão Grande foi há precisamente seis meses. Enquanto segue a reconstrução no tempo possível e com o Natal à porta, a vida prossegue, mas não voltará a ser mesma.

  • A inédita entrevista do príncipe Harry a Barack Obama
    0:47

    Mundo

    Foi divulgado um vídeo pouco habitual em que aparece o príncipe Harry a entrevistar Barack Obama para um programa de rádio. A conversa foi gravada em setembro, durante um evento desportivo para militares com deficiência, e será transmitida na íntegra no dia 27 de dezembro.