sicnot

Perfil

Mundo

Japão vai desmantelar central de Fukushima dentro de 30 a 40 anos

O governo japonês aprovou hoje a revisão do plano para as operações de desmantelamento da central nuclear de Fukushima, cuja duração total se mantêm no prazo de entre 30 e 40 anos. 

© Kim Kyung Hoon / Reuters

Apesar de a retirada do combustível -- uma operação chave no processo -- se atrasar entre dois e três anos, o executivo nipónico e a proprietária da fábrica, a Tokyo Electric Power (TEPCO), estimaram que a alteração não afeta o conjunto de trabalhos pendentes na central.

Além da retirada do combustível fundido de dentro dos reatores, a central, atingida pelo terramoto e tsunami de 2011, ainda enfrenta o problema da acumulação diária de centenas de toneladas de água radioativa nas instalações.

Estas inundações são produto da água que através dos canais naturais entra nos porões dos reatores e, uma vez aí, se mistura com líquido refrigerante contaminado que esteve em contacto com as unidades danificadas. 

Atualmente o Governo e a TEPCO estão a testar um sistema experimental -- um muro de gero subterrâneo -- para desviar o fluxo das águas subterrâneas e evitar que essa acumulação diária de água possa ir parar ao oceano Pacífico. 

O tsunami e sismo de magnitude 9 na escala de Richter de 11 de março de 2011 provocou em Fukushima o pior acidente nuclear desde o de Chernobil, na Ucrânia, em 1986.

As emissões e fugas resultantes mantêm deslocadas milhares de pessoas que viviam junto à central nuclear e afetaram gravemente a agricultura, pecuária e pesca local. 


Lusa
  • Corpos de portuguesas trasladados segunda-feira 
    1:27
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Estado vai tomar posse de terras abandonadas

    País

    O Governo vai recorrer ao Código Civil para permitir que o Estado tome posse de terras ao abandono. À margem da entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro anunciou que o Governo irá acionar o artigo 1345º do Código Civil, que estabelece que as coisas imóveis sem dono conhecido se consideram do património do Estado.

  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22