sicnot

Perfil

Mundo

Ban Ki-moon pede trégua imediata no Iémen

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje uma trégua humanitária imediata no Iémen, na abertura em Genebra de conversações de paz entre o governo no exílio e os rebeldes xiitas 'huthis'.

© Khaled Abdullah Ali Al Mahdi

"Não temos um momento a perder", disse Ban, frisando que o conflito armado no Iémen "deu força a alguns dos mais brutais grupos terroristas do mundo".

"Espero que esta semana marque o princípio do fim dos combates", disse o secretário-geral, sublinhando a importância de fazer chegar a ajuda humanitária às populações.

As Nações Unidas têm descrito a situação humanitária no Iémen como "catastrófica", com 80% da população, ou 20 milhões de pessoas, a precisar de ajuda, e mais de 2.600 mortos, na maioria civis.

"O Ramadão começa dentro de dois dias", prosseguiu Ban, referindo que o mês sagrado dos muçulmanos deve ser um período de harmonia, paz e reconciliação.

Ban pediu um cessar-fogo "de pelo menos duas semanas" e apelou às partes em conflito para negociarem "tréguas locais" e "retirarem os grupos armados das cidades".

As conversações de paz iniciaram-se em Genebra sem a delegação dos rebeldes xiitas, cujo voo sofreu um atraso no Djibouti.

Segundo Ban, o atraso deve-se a razões logísticas e não vai prejudicar as conversações.

Mas, segundo observadores, é "muito improvável" que as reuniões na Suíça permitam avanços significativos no confronto entre os rebeldes xiitas, apoiados pelo Irão, e o governo no exílio, apoiado pela Arábia Saudita.

Os rebeldes, apoiados igualmente por unidades militares leais ao presidente deposto Ali Abdullah Saleh, controlam vastas áreas do país, incluindo a capital, Sanaa, e a segunda cidade, Áden, tendo forçado o presidente, Abdrabbo Mansur Hadi, a refugiar-se na Arábia Saudita em março.

O ministro dos Negócios Estrangeiros iemenita, Riad Yassin, também considerou fracas as perspetivas de um acordo. "Não estou muito otimista", disse, afirmando que "eles (os rebeldes) nunca respeitam nenhum tratado".

Segundo Yassin, os rebeldes são comparáveis aos grupos extremistas Estado Islâmico e Boko Haram e enviaram às conversações de Genebra muito mais representantes do que o tinha sido acordado. "Querem criar uma situação caótica", disse.

A delegação do governo, liderada pelo ministro, repetiu no domingo as suas exigências, entre as quais se destaca a de que qualquer trégua tem de ser precedida de uma retirada dos rebeldes de todos os territórios que tomaram.









Lusa
  • Árbitros em greve este fim de semana

    Desporto

    Vários árbitros de primeira categoria estão a pedir dispensa aos jogos do próximo fim de semana. Os juízes protestam contra o que chamam de clima de intimidação e exigem mais respeito para a classe. Desconhece-se para já quantos árbitros entregaram o pedido de dispensa.

  • Administrador recebia 420 mil € por ano quando aldeamento passava dificuldades
    4:39
  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • "Estamos vivos"
    11:41
  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27
  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Peru faz aparição especial na Casa Branca
    1:10

    Mundo

    Os norte-americanos estão a preparar-se para o tradicional Dia de Ação de Graças, assinalado na próxima quinta-feira. O tradicional peru fez esta terça-feira uma aparição especial na sala de conferências de imprensa, na Casa Branca, em Washington. O peru é o prato tradicional no Dia de Ação de Graças, uma data de louvor a Deus, que remonta ao século XVII e que é celebrada na quarta quinta-feira de novembro, sobretudo nos Estados Unidos da América e no Canadá.

  • Sara Sampaio brilha em Xangai
    1:50