sicnot

Perfil

Mundo

Comissão acusa formalmente polícia sul africana sobre morte de 34 mineiros em 2012

Na África do Sul, a comissão de inquérito sobre o massacre da mina sul africana de Marikana acusou formalmente a polícia do país. 

© SIPHIWE SIBEKO1 / Reuters

A comissão recomenda um inquérito exaustivo com o objetivo de apurar a responsabilidade criminal dos agentes da polícia envolvidos no incidente.

Em agosto de 2012, pelo menos 34 mineiros foram fuzilados pela polícia durante um protesto. Registaram-se ainda mais de 70 feridos e 250 detidos.

A polícia garantiu ter agido em legítima defesa. O massacre foi considerado o episódio mais violento no país desde o Apartheid.
  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Oliveira e Costa condenado a 14 anos de prisão

    País

    O fundador do grupo SLN/BPN, José Oliveira e Costa, foi esta quarta-feira condenado pelo tribunal a uma pena de prisão efetiva de 14 anos pelos crimes de falsificação de documentos, fraude fiscal qualificada, burla qualificada e branqueamento de capitais. Dos 15 arguidos no processo, 12 foram condenados.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras