sicnot

Perfil

Mundo

Morreu a gata que era chefe de estação de comboios no Japão

"Tama" era o seu nome. A gata que foi nomeada chefe de uma estação de comboios e que se tornou atração turística numa região no oeste do Japão, morreu na segunda-feira, informou hoje a empresa ferroviária Wakayama Electric Railway.

Gata Tama na estação de comboios,

Gata Tama na estação de comboios,

Fotografia de Anthonation

O animal, de 16 anos, morreu alegadamente de insuficiência cardíaca, explicou a companhia. 

A empresa, que opera a linha local Kishigawa na prefeitura de Wakayama, decidiu nomear a gata chefe da estação de Kishi em janeiro de 2007.

Desde então, vestia o animal com o uniforme usado pelos funcionários da empresa, uma extravagância que não tardou a surtir efeitos. 

Em menos de uma década, a linha férrea situada numa zona rural do país aumentou em 20% o volume de passageiros. 

O número de turistas japoneses e estrangeiros que passou a deslocar-se à localidade de Kinokawa, onde se situa a estação, aumentou ao ponto de provocar problemas de estacionamento no município. 

O sucesso inesperado de "Tama" fez a empresa colocar o nome da gata num dos comboios e a nomeá-la presidente honorária em 2013.

O próprio governador da prefeitura de Wakayama, Yoshinobu Nisaka, emitiu hoje um comunicado no qual destacou o papel da gata como "superestrela do turismo dentro e fora do Japão, que muito contribuiu para a promoção" turística da região. 

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras