sicnot

Perfil

Mundo

Piloto de avião que caiu no rio em Taiwan desligou motor antes do acidente

O piloto do avião que se despenhou em fevereiro passado num rio em Taiwan, provocando 43 mortes, desligou o único motor que funcionava, depois de o outro ter falhado, segundo um relatório oficial hoje divulgado.  

© Stringer Taiwan / Reuters


O avião da transportadora TransAsia despenhou-se pouco depois de descolar do aeroporto Songshan, em Taipé, em fevereiro passado, com 53 pessoas a bordo, das quais 15 sobreviveram.

O relatório do Conselho de Segurança da Aviação Civil de Taiwan indica, com base nas gravações da caixa negra, que, antes da queda, o piloto afirmou ter puxado a alavanca errada.

A ação fez com que o único dos motores que funcionava falhasse, depois de o outro ter já perdido potência, segundo os resultados preliminares do inquérito.

Os dados de hoje são descritos como "factuais" e facultam mais pormenores sobre o acidente, mas não atribuem responsabilidade nem apresentam conclusões finais sobre a causa do acidente.

O relatório preliminar deve ser publicado em novembro e o final é esperado em abril de 2016.

 

  • Divulgada gravação de hospedeira a gritar que um dos motores está em chamas
    1:35

    Mundo

    Trinta e um mortos, 12 desaparecidos e 15 sobreviventes é o último balanço da queda de um avião em Taiwan. O aparelho da TransAsia perdeu altitude logo depois da descolagem, chocou com a estrutura de uma autoestrada e caiu num rio. Um canal de Taiwan divulgou uma gravação que terá sido captada por radioamadores em que uma hospedeira grita que um dos dois motores está em chamas.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.