sicnot

Perfil

Mundo

Novo ataque do Boko Haram faz 29 mortos em aldeia no nordeste da Nigéria

Pelo menos 29 pessoas morreram hoje na Nigéria num novo ataque atribuído ao grupo extremista Boko Haram, numa aldeia do estado de Borno no nordeste do país, segundo testemunhas citadas pela agência France Presse (AFP).  

Jossy Ola

Os homens armados chegaram à aldeia de Mussa por volta das 13:00 (12:00 em Lisboa), e "começaram a disparar sobre toda a gente que viam", relatou Sunday Wabba, dirigente de uma associação de jovens na aldeia de Mussa. 

"Esta é a quarta vez que eles nos atacam este ano", acrescentou, declarando que até agora se contaram "os corpos de 29 pessoas, e há numerosos feridos". 

"Eles chegaram em pleno dia e começaram a disparar sobre as pessoas inocentes", declarou por sua vez à AFP Umoru Jantiku, membro de uma milícia anti-Boko Haram. 

"Estamos ainda à espera de encontrar cadáveres no mato, mas até agora, 29 mortos estão confirmados", acrescentou.

A aldeia de Mussa, situada a sul da cidade de Maiduguri, é a sexta localidade do estado nigeriano de Borno atacada em 48 horas pelo grupo extremista.

A vaga de violência destes dias já fez cerca de 200 mortos desde quarta-feira.

Lusa

  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.