sicnot

Perfil

Mundo

Estado Islâmico divulga vídeo de execução coletiva em Palmira

O grupo extremista Estado Islâmico divulgou hoje um vídeo na internet que mostra a execução de 25 soldados sírios por ''jihadistas'', aparentemente adolescentes, no teatro romano da cidade histórica de Palmira, no centro da Síria.

© Omar Sanadiki / Reuters

As execuções que o vídeo mostra terão ocorrido poucos dias depois de o grupo ter capturado Palmira, a 21 de maio, tendo sido denunciadas a 27 de maio pela organização não-governamental Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Nas imagens veem-se os soldados, de uniforme, ajoelhados no palco do anfiteatro romano, à frente de uma enorme versão da bandeira preta com inscrições a branco utilizada pelos 'jihadistas'.

As execuções, com tiros na nuca disparados por 'jihadistas' que parecem ser crianças ou adolescentes, são realizadas perante uma audiência relativamente pequena.

Desde que tomou Palmira, o Estado Islâmico terá executado na zona mais de 200 pessoas, incluindo civis.

AS ruínas greco-romanas de Palmira estão classificadas como Património Mundial pela UNESCO e a tomada da cidade pelos 'jihadistas' suscitou o receio de que, como noutros locais, o Estado Islâmico as pudesse destruir.

Até agora não houve qualquer informação de que tenha havido danos nas ruínas, apesar de os 'jihadistas' terem vandalizado sepulturas muçulmanas na cidade e destruído uma estátua frente ao Museu de Palmira.

 

Lusa

  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.